Dois novos medicamentos são incorporados ao SUS

 Dois medicamentos foram incorporados no Sistema Único de Saúde (SUS), o antiangiogênicos aflibercepte e o ranibizumabe são utilizados no tratamento de Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) neovascular em pacientes acima de 60 anos.

Ambos os medicamentos atuam por meio de injeções intraoculares, bloqueando a atividade do fator de crescimento endotelial vascular que, em excesso, provoca a formação anormal de novos vasos sanguíneos no olho e o desenvolvimento de edema na retina. 

Covid-19: Quebra de patentes choca com medidas de fortalecimento da cooperação entre países e empresas

Ministério da Saúde distribui 1,12 milhão de vacinas da Pfizer

A incorporação segue recomendação de relatório da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec). A Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) é uma doença que afeta os olhos, mais especificamente a área central da retina, podendo levar à perda da visão.

Ela atinge de 15 a 30% da população de 55 a 80 anos e é responsável por 8,7% de toda a cegueira, o que corresponde a aproximadamente 3 milhões de pessoas. Estima-se que, em 2040, existirão 288 milhões de casos da doença no mundo.

O único tratamento disponível no SUS consiste no uso da fotocoagulação a laser. Porém, ela não é indicada para todas as situações. As principais causas da doença são aumento da idade, etnia caucasiana, aterosclerose e tabagismo.



Fonte: Brasil 61

v

Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *