Apesar da inflação, economia está evoluindo, diz Copom

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) informou nesta terça-feira (22) que a persistência da pressão inflacionária maior que a esperada foi levada em consideração para o aumento de 0,75 ponto percentual na taxa básica de juros Selic. Apesar da persistência da inflação, o Copom aponta uma melhora na economia do País. Na última quarta-feira (16), o Copom elevou a Selic de 3,5% para 4,25% ao ano.

Para a trajetória de juros, o Copom prevê uma elevação de 6,25% ao ano em 2021 e para 6,5% ao ano em 2022. Em agosto de 2020, influenciada pela contração econômica gerada pela pandemia de Covid-19, a Selic atingiu o menor nível da série histórica desde 1986, alcançando apenas 2% ao ano. Desde então, a taxa passa por um ciclo de alta.

Arrecadação aumenta em 25 estados e no Distrito Federal, aponta Tesouro

Banco Central eleva de 4,85% para 5% a expansão do PIB para 2021

A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter a inflação oficial sob controle. A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas de juros da economia.

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *