FPM é pago nesta sexta (9); confira quanto seu município vai receber

O primeiro repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de julho será depositado nas contas das 5.568 prefeituras nesta sexta-feira (9), somando repasses de R$ 4,7 bilhões. Com o desconto de 20% do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), o valor reduz para R$ 3,8 bilhões.
 
Segundo dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), o número total é 31,62% maior que o mesmo repasse do ano passado, corrigida a inflação do período. A quantia é dividida em percentuais de participação de cada município, calculados pelo Tribunal de Contas da União (TCU), com base na população das cidades e a renda per capita dos estados. 


 
A análise da destinação dos recursos do FPM divide os municípios em três categorias: capitais, interior e reserva. As capitais dos estados e Brasília recebem 10% do FPM. Interior são os demais municípios brasileiros e representam 86,4% do FPM. Já os municípios de reserva são aqueles com população superior a 142.633 habitantes e recebem – além da participação como município de interior – uma cota adicional de 3,6% do fundo. 
 
Os valores do Fundo de Participação dos Municípios são pagos às prefeituras três vezes ao mês, até os dias 10, 20 e 30. Caso a data caia em final de semana ou feriado, como ocorre neste primeiro pagamento de julho, o repasse é antecipado para o primeiro dia útil anterior. Os valores são creditados pelo Banco do Brasil S/A, que disponibiliza, no site da instituição, os avisos referentes às distribuições decendiais das contas dos Fundos de Participações, com os lançamentos a crédito e débito. 
 
Alexandre Rocha, especialista em finanças públicas e professor do Ibmec, explica o motivo da transferência desses valores. “A origem dos recursos sempre está vinculada à arrecadação do Imposto de Renda e à arrecadação do Imposto sobre Produtos Industrializados. Ou seja, a Constituição Federal prevê que cerca de metade do montante arrecadado por esses dois tributos devem ser destinados aos estados e aos municípios. No caso dos estados, por meio do fundo de participação dos estados, no caso dos municípios, por meio do fundo de participação dos municípios.”

Crescimento e alerta

Um levantamento da Associação Brasileira de Municípios (ABM) mostra que os pagamentos brutos do FPM a cada mês deste ano, desde janeiro, têm sido maiores do que os números do ano passado. No consolidado do primeiro semestre, de janeiro a junho, a variação em relação a 2020 foi de 30,1%, um ingresso bruto de R$ 65,6 bilhões. Gilmar Dominici, vice-presidente de Relações Institucionais da ABM, avalia esse cenário atual.

“Até o momento, a fotografia do FPM para os municípios é muito boa. Isso tem a ver inclusive com o fato de que no ano passado não ocorreram alguns pagamentos que foram computados relativos ao imposto de renda, por exemplo. Esses atrasos, essas coisas todas por conta do início da pandemia, geraram dívidas que foram saldadas esse ano e, com isso, aumentaram os valores a serem repassados para os municípios”

Porém, ele alerta que os gestores municipais precisam ter bons planejamentos financeiros para evitar surpresas no fim do ano. “Isso por um lado é um sinal positivo, mas, por outro, nós temos que estar alertas. A indicação da ABM é que os municípios controlem os seus gastos, porque nós não sabemos se isso será mantido até o final do ano. E é importante os municípios terem um controle de gastos para chegar ao final do exercício de 2021 em condições de fechar o ano sem nenhuma situação excepcional de dívidas, de pagamento de décimo terceiro, enfim, todas as despesas que a prefeitura tem”, ressalta.

Bloqueio do FPM

Apesar de ser um fundo essencial para as prefeituras, neste começo de julho, 22 municípios se encontram bloqueados e não poderão ter acesso à parcela do FPM. O bloqueio acontece quando o município ou o ente federado possui alguma dívida com a União. Neste caso, a Constituição Federal traz uma permissão para reter o recurso que seria enviado. 
 
Sergipe é a unidade da federação com mais municípios bloqueados. São oito cidades em dívida com o governo federal no estado, sendo que um deles, Carmópolis, chama atenção por ser o município brasileiro com o bloqueio mais antigo, de 18 de maio de 2020. Minas Gerais vem em seguida, com sete. Confira a lista completa dos 22 municípios bloqueados:

  • Coelho Neto (MA)
  • Barra Longa (MG)
  • Campina Verde (MG)
  • Divisa Nova (MG)
  • Esmeraldas (MG)
  • Palma (MG)
  • Poços de Caldas (MG)
  • Sete Lagoas (MG)
  • São Geraldo do Araguaia (PA)
  • Carazinho (RS)
  • Igrejinha (RS)
  • Turucu (RS)
  • Bom Retiro (SC) 
  • Carmópolis (SE)
  • Cristinápolis (SE)
  • Gararu (SE)
  • Graccho Cardoso (SE) 
  • Maruim (SE)
  • Salgado (SE)
  • Santa Rosa de Lima (SE)
  • Umbaúba (SE)
  • Monte Alegre do Sul (SP)

Repasse do FPM para cada capital do país

UFCapitalValor reservado às CapitaisParticipação Relativa no Total das CapitaisValor Repasse
ACRio Branco381 188 302,910,030967740011 804 540,26
ALMaceió381 188 302,910,043010750016 395 194,80
AMManaus381 188 302,910,054193560020 657 951,17
APMacapá381 188 302,910,027526880010 492 924,67
BASalvador381 188 302,910,077419360029 511 354,45
CEFortaleza381 188 302,910,086021520032 790 397,22
DFBrasília381 188 302,910,01720430006 558 077,92
ESVitória381 188 302,910,02064516007 869 693,50
GOGoiânia381 188 302,910,036129030013 771 963,63
MASão Luís381 188 302,910,053763440020 493 994,45
MGBelo Horizonte381 188 302,910,051612910019 674 237,57
MSCampo Grande381 188 302,910,01548387005 902 270,13
MTCuiabá381 188 302,910,01376344005 246 462,34
PABelém381 188 302,910,046451610017 706 810,38
PBJoão Pessoa381 188 302,910,034408600013 116 155,84
PERecife381 188 302,910,048172040018 362 618,18
PITeresina (1)381 188 302,910,053763440020 493 994,45
PRCuritiba381 188 302,910,030967740011 804 540,26
RJRio de Janeiro381 188 302,910,034408600013 116 155,84
RNNatal381 188 302,910,030967740011 804 540,26
ROPorto Velho381 188 302,910,02408602009 181 309,09
RRBoa Vista (2)381 188 302,910,043010750016 395 194,80
RSPorto Alegre (***)381 188 302,910,027096770010 328 971,77
SCFlorianópolis381 188 302,910,01376344005 246 462,34
SEAracaju381 188 302,910,030967740011 804 540,26
SPSão Paulo381 188 302,910,030107530011 476 638,27
TOPalmas381 188 302,910,02408602009 181 309,09

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *