SC: Com queda de 25% nas doações durante a pandemia, Santa Catarina apresenta baixo estoque de sangue tipo A positivo

Santa Catarina está com baixo estoque de sangue tipo A positivo. Os níveis de sangue tipo O negativo e O positivo também sofreram redução. Durante a pandemia, o Centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina (Hemosc) registrou queda de 25% nas doações. Segundo a coordenadora do hemocentro, Michelen Ghedin, manter uma frequência de doações é importante para evitar que os estoques passem por um período crítico.

“Com o aumento do número de casos e o pico da pandemia aqui no estado, os estoques de sangue chegaram a níveis de alerta, onde mais de 25% da redução nas doações foram observados. Os principais tipos sanguíneos que têm uma maior dificuldade na manutenção dos estoques são os da tipagem O e A. Esses são os mais impactados e os mais utilizados, sendo que os principais, claro, são os da tipagem negativa.  O negativo que é o doador universal é o mais utilizado nas transfusões de emergência, o que impacta também nos estoques e faz com que ele seja importante”, explicou Michelen.

O Hemosc possui sete hemocentros capacitados para coleta de sangue e de medula óssea, que estão em sete cidades catarinenses. A sede do hemocentro coordenador está localizada em Florianópolis, na Avenida Othon Gama D’Eça, número 756, Centro, próximo ao Hospital Governador Celso Ramos e em frente à Maternidade Carmela Dutra. O telefone do hemocentro é  (48) 3251 9712 ou final 9713. As demais unidades estão localizadas em Blumenau, Chapecó, Criciúma, Joaçaba, Joinville e Lages. 

Segundo a coordenadora, as cidades de Florianópolis, Joinville e Blumenau são as cidades mais engajadas na doação de sangue. Com a pandemia, Joinville, no entanto, registrou queda nas doações. Para contornar a situação, a hemorrede adotou todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 de modo a tranquilizar os doadores e aumentar o número de doações de sangue.

“Estamos contornando essa queda nos estoques adotando algumas medidas como a realização de coletas externas, em outras cidades da região, principalmente no oeste do estado. Também adotamos a abertura dos nossos hemocentros em sábados extras para mobilizar a sociedade que não podia faltar o serviço durante a semana. Adotamos medidas de segurança bastante rígidas de distanciamento, higienização e a prática da doação de sangue por agendamento”, afirmou a coordenadora.

Exemplo de solidariedade

Mesmo com a pandemia, alguns catarinenses entendem a importância de continuar doando sangue para salvar vidas. É o caso de Luís Cláudio Rodrigues, de 51 anos. O militar carioca, que agora reside em Santa Catarina, também é doador de medula óssea. Ele já realizou mais de 230 doações de sangue e bateu o recorde como o maior doador do país. Mas o foco, ele diz, não é o reconhecimento. Para Luís Cláudio, o que importa é ajudar os pacientes que necessitam de uma transfusão. 

“Sou um viciado em salvar vidas. Com ou sem pandemia, os acidentes continuam acontecendo, as cirurgias continuam, o câncer não está preocupado se têm Covid-19 ou se não. Essa corrente solidária não pode parar. Seja mais um elo nessa corrente junto comigo e junto com vários, para não dizer centenas ou milhares de doadores de sangue espalhados em torno do Brasil”, afirmou.

FOTO: Arquivo Pessoal / Luis Cláudio doando plaquetas no Hemosc.

Importância da doação regular

A doação é voluntária e pode beneficiar milhares de pessoas, independente do parentesco. De acordo com o Ministério da Saúde, são realizadas três milhões de doações de sangue por ano na rede do Sistema Único de Saúde (SUS). O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, destaca a importância da doação regular.

“Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E nesse sentido, é importante a doação regular de sangue. Doe sangue regularmente, com a nossa união, a vida se completa.”

Onde doar sangue em Santa Catarina

Em Santa Catarina, existem sete hemocentros e duas unidades de coleta. Procure o Hemosc mais próximo de sua região e faça a sua doação de sangue e medula óssea. Além dos hemocentros, a rede do HEMOSC conta com duas unidades de coleta em Jaraguá do Sul e Tubarão.

Algumas cidades estão fazendo o agendamento através do site do hemocentro. Outras agendam a doação por telefone. Neste caso, basta ligar para o (48) 3251-9712 ou final 9713. Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades, veja o mapa abaixo.

Critérios para doação de sangue e medula óssea

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.

Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Já os vacinados, devem esperar o tempo de imunização que vai depender da marca do imunizante.

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de 3 meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de 2 meses entre as doações. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.

Candidatos a doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber mais sobre os critérios e restrições de sangue, acesse o portal do Hemosc.

https://app.powerbi.com/view?r=eyJrIjoiMDhiZGE5MjktN2RiMi00NjA0LWE1NDctYzNiZWJlNGQ5NzQ0IiwidCI6ImI0MWExODliLWVlZjItNDZkZi1hN2ExLWFmN2UwNTU0YjkzYiJ9&pageName=ReportSection

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *