Covid-19: Brasil chega a 567,8 mil mortes; Roraima tem menor letalidade

O Brasil atingiu a marca de 567,8 mil mortes em decorrência da Covid-19 em toda a pandemia. O último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde mostra 966 novos óbitos pela doença no país e 33.933 novos casos. Entre os estados, a maior letalidade da doença está no Rio de Janeiro e a menor em Roraima.

A incidência do vírus, ou seja, o número de casos a cada 100 mil habitantes, está em 9.668,9. Ao todo, 20,3 milhões de brasileiros já tiveram uma infecção pelo novo coronavírus. Deles, 19,1 milhões de pessoas estão curadas do vírus, mas podem ter adquirido sequelas. 

O estado de São Paulo é o que registra mais óbitos acumulados, com 142.199 moradores que perderam a vida na pandemia. A região também é a que possui mais casos confirmados, com mais de 4 milhões de contaminações. Já em relação à taxa de letalidade, ou seja, a quantidade de pessoas que morrem dentro do total de infectados, o Rio de Janeiro lidera o ranking trágico. Confira abaixo:

Taxa de letalidade nos estados

  • Rio de Janeiro – 5,62%
  • São Paulo – 3,42%
  • Amazonas – 3,23%
  • Pernambuco – 3,20%
  • Maranhão – 2,86%
  • Pará – 2,81%
  • Goiás – 2,80%
  • Mato Grosso – 2,57%
  • Paraná – 2,57%
  • Ceará – 2,57%
  • Minas Gerais – 2,57%
  • Alagoas – 2,56%
  • Mato Grosso do Sul – 2,52%
  • Rondônia – 2,47%
  • Rio Grande do Sul – 2,43%
  • Piauí – 2,20%
  • Espírito Santo – 2,19%
  • Bahia – 2,16%
  • Sergipe – 2,15%
  • Distrito Federal – 2,14%
  • Paraíba – 2,13%
  • Acre – 2,07%
  • Rio Grande do Norte – 1,99%
  • Tocantins – 1,68%
  • Santa Catarina – 1,62%
  • Amapá – 1,59%
  • Roraima – 1,57% 

Entre os municípios, Janduís (RN) registra a maior letalidade da Covid-19, com 53,85%. Na sequência vêm São Luiz do Paraitinga (SP), com 32,50% e Boa Vista do Gurupi (MA), com 26,67%. 

Para mais informações sobre a Covid-19 no seu estado e município, acesse o portal Brasil61.com/painelcovid.   

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *