BA: Número de doadores de sangue cresce 10,5% no primeiro semestre, mas tipos O positivo e negativo e A negativo continuam em níveis de alerta

Os tipos sanguíneos O positivo e negativo e A negativo estão em estado de alerta no Hemocentro da Bahia (Hemoba). Segundo a instituição, 63.444 voluntários doaram sangue de janeiro a junho de 2020, o que permitiu a coleta de 48.785 bolsas. Já nos seis primeiros meses de 2021, foram 70.152 doadores e um total de 53.497 bolsas. Os dados apontam para o crescimento de 10,5% de voluntários e 9,6% de bolsas coletadas. No entanto, a alta ainda não é suficiente para atender a necessidade do banco de sangue. 

A rede Hemoba tem sua sede localizada em Salvador, na Ladeira do Hospital Geral, sem número, Brotas. O telefone para contato é o (71) 3116-5664/5600. Há também hemocentros regionais nos municípios de Eunápolis e Barreiras. Além disso, diversas cidades contam com as UCTs, unidades de coleta. Saiba mais abaixo. 

Fernando Araújo, diretor do Hemoba, convida os baianos a doarem e ressalta a relevância de os estoques estarem sempre em segurança. “Comento sobre a importância da doação de sangue neste momento de pandemia, que modifica todo o formato e a trajetória da nossa medicina transfusional e exige que a gente tenha os estoques sempre em segurança para que possamos atender a população não sóda Bahia, mas também todos os outros estados brasileiros. Quanto maior for a vacinação, maior estaremos tendo solicitações da medicina transfusional”, explica.

Durante o Junho Vermelho, mês de incentivo à doação de sangue em todo país, o Hemoba recebeu mais de 13 mil voluntários e coletou 10.251 bolsas. No início da pandemia, a instituição criou o “Hemoba em Casa — A Solidariedade mora ao lado” com o objetivo de facilitar a participação dos doadores durante o período de isolamento social e regularizar a situação do estoque de sangue. A ação continua vigente.

O Hemoba considera o estoque de sangue estável quando se tem uma quantidade de hemocomponentes que atende a demanda de oito a dez dias. A classificação de alerta é para um número suficiente de quatro a sete dias; e crítico, quando se tem apenas a quantidade para atender no máximo três dias.

Altruísmo

Heleno Maisk, 35, morador do bairro Horto Bela Vista da capital baiana, considera que todos devem ter a prática de doação sempre que puder. “Pois muita gente que não pode contar com o apoio dos familiares ou de amigos tem a nossa doação frequente, que pode garantir o acesso ao sangue que  precisa. Nesse momento de pandemia que estamos vivendo se faz mais necessário, porque devemos ter empatia com a situação de todos, não só com familiares ou parentes”, assegura o engenheiro mecatrônico, que tem o tipo sanguíneo O positivo.

Diante da necessidade de manter os hemocentros bem abastecidos, o Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, vem mobilizando a população para procurar o hemocentro mais próximo de casa e doar sangue. “Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E nesse sentido, é importante a doação regular de sangue. Doe sangue regularmente, com a nossa união, a vida se completa”, afirmou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Onde doar sangue na Bahia

O Hemoba possui várias unidades de coleta. Procure uma unidade mais próxima de sua casa e faça sua doação de sangue ou medula óssea. Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades, veja o mapa abaixo. 

Interessados em doar também podem preencher um formulário disponível no site do Hemoba, cujo endereço é saude.ba.gov.br/hemoba, ou enviar um e-mail para [email protected]

Critérios para doação de sangue e medula óssea

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.
 
Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Já os vacinados, devem esperar o tempo de imunização que vai depender da marca do imunizante.
 
Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de 3 meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de 2 meses entre as doações. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.
 
Candidatos à doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.
Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber mais sobre os critérios e restrições para doação de sangue e medula óssea, acesse www.saude.ba.gov.br/hemoba.

https://app.powerbi.com/view?

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *