PB: Doações de sangue crescem no primeiro semestre, mas voltam a cair em julho, diz Hemoíba

O Hemocentro da Paraíba (Hemoíba) registrou queda de 70% no número de doações de sangue no início da pandemia. No final de 2020, primeiro ano da Covid-19 no país, a redução chegou a 13%. Segundo a entidade, foram coletadas aproximadamente 34 mil bolsas de sangue,  em 2019, contra 38.537 no ano passado. 

Em nota, o Hemoíba informou que as doações voltaram a crescer no primeiro semestre deste ano. De janeiro a junho, mais de 18 mil bolsas foram coletadas na hemorrede estadual. No entanto, em julho, o hemocentro sentiu uma queda de 20% nas doações.  Os estoques do banco de sangue estão bem abaixo do ideal. A preocupação maior é com os tipos sanguíneos A positivo, AB positivo e O negativo, que chegaram ao nível crítico

A rede Hemoíba tem um hemocentro coordenador, localizado na Avenida D. Pedro II, número 1548,  bairro Jaguaribe, em João Pessoa. O telefone para contato é o (83) 3133-3473. Além da capital, há um hemocentro regional em Campina Grande, na rua Eutécio Vital Ribeiro S/N, bairro Catolé. O telefone é o (83) 3344-5475/5482. 

A diretora geral do hemocentro da Paraíba, Shirlene Dantas Gadelha, faz um apelo para que a população se mobilize e compareça em uma das nove unidades de coletas espalhadas pelo estado e ajude a salvar vidas. 

“Quero fazer um convite para que você agende a sua doação pelo número 3133-3473. Nós estamos com nossos estoques críticos e só através de doações conseguimos fazer essa distribuição para os hospitais. Vamos participar dessa corrente do bem, dessa corrente solidária e agenda a tua doação. Doe sangue e salve vidas!”                                                                 

O Hemocentro Coordenador de João Pessoa, na capital, e o Hemocentro Regional de Campina Grande concentram o maior número de doadores de sangue. No outro extremo, o Hemonúcleo de Piancó é o que registra menos contribuições.  

Exemplo de solidariedade 

O médico e bombeiro Junior Paz, 33 anos, mora no bairro Jardim Cidade Universitária, em João Pessoa. Ele começou a doar sangue aos 19 anos durante um curso de formação de soldados da Polícia Militar da Paraíba. De lá para cá, a doação de sangue se tornou uma rotina na vida do bombeiro. 

“Nesses ambientes militares é muito frequente a solicitação de voluntários doadores por parte dos familiares. Desde então, pelo menos uma vez por ano eu doo sangue. Já se foram 19 ou 20 doações.”

De acordo com o Ministério da Saúde, em cada doação, o máximo de sangue retirado é de 450 ml. Uma única doação pode salvar até quatro vidas. Com suas contribuições, Junior conseguiu mudar o destino de 80 pessoas. 

“Doar sangue para mim é um ato de solidariedade, humanidade e um privilégio. Com 30 minutos do seu dia você pode ajudar a salvar vidas de outras pessoas que estão em situações difíceis. Sem falar que em um algum momento a gente pode estar do outro lado necessitando de doações.”

Ele lembra sobre a importância da doação de sangue regular, principalmente nos meses de férias em que aumenta a demanda de transfusão sanguínea e diminui o número de doações. 

“Para quem não é doador, eu aconselho que faça a doação e que seja voluntário, principalmente nesses períodos de início de ano, carnaval, férias, e final de ano que são períodos que aumenta a demanda por bolsas de sangue e diminui o número de doadores. A sensação de poder salvar uma vida é uma sensação indescritível”, disse o médico. 

Importância da doação regular

A doação é voluntária e pode beneficiar milhares de pessoas, independente do parentesco. De acordo com o Ministério da Saúde, são realizadas três milhões de doações de sangue por ano na rede do Sistema Único de Saúde (SUS). O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, destaca a importância da doação regular.

“Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E nesse sentido, é importante a doação regular de sangue. Doe sangue regularmente, com a nossa união, a vida se completa.”

Onde doar sangue na Paraíba

O Hemocentro da Paraíba possui unidades para doação de sangue e medula óssea em diversos municípios.  Os hemocentros regionais estão nas cidades de João Pessoa e Campina Grande. A instituição também dispõe de hemonúcleos e agências transfusionais nos municípios de Patos, Cajazeiras, Souza, Catolé do Rocha, Piancó, Itaporanga, Guarabira, Itabaiana, Monteiro, Princesa Isabel e Picuí. 

Procure uma unidade mais próxima da sua cidade e faça a sua doação. Agende o dia e horário da sua doação por telefone ou através do site da instituição. Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades, veja o mapa abaixo. 

Critérios para doação de sangue e medula óssea

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.

Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Já os vacinados, devem esperar o tempo de imunização que vai depender da marca do imunizante.

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de 3 meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de 2 meses entre as doações. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.

Candidatos a doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso. 

Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber mais sobre os critérios e restrições para doação de sangue e de medula óssea, acesse o site hemocentro.saude.pb.gov.br/.

*Os dados sobre o mês de julho se referem até o dia 21 do mesmo mês. A reportagem procurou o Hemoíba para saber se há informações mais atuais, mas a instituição não respondeu até a publicação da matéria.

https://app.powerbi.com/view?r=eyJrIjoiMDhiZGE5MjktN2RiMi00NjA0LWE1NDctYzNiZWJlNGQ5NzQ0IiwidCI6ImI0MWExODliLWVlZjItNDZkZi1hN2ExLWFmN2UwNTU0YjkzYiJ9&pageName=ReportSection

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *