Em razão da queda nas doações, Hemope está com estoque de sangue em alerta

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

As doações de sangue na Fundação Hemocentro de Pernambuco (Hemope) tiveram, com a pandemia da Covid-19, uma queda de 5,5%. De acordo com a instituição, os estoques do banco de sangue estão em situação crítica, com apenas o tipo sanguíneo “AB negativo” em nível estável. Para mobilizar os pernambucanos a doarem sangue, a rede Hemope conta o Hemocentro Coordenador, localizado em Recife e, também, com uma estrutura descentralizada, composta pelos hemocentros regionais.


 
Pernambuco tem cinco hemocentros regionais, que ficam nos municípios de Garanhuns, Petrolina, Caruaru, Serra Talhada e Ouricuri. Essas unidades também recebem candidatos à doação de medula óssea. Com o objetivo de abastecer o banco de sangue e aumentar o número de doadores de medula, o Hemope indica que os voluntários devem procurar o hemocentro regional mais próximo e permitir uma pequena coleta de sangue para averiguação do tipo sanguíneo e da compatibilidade.
 
Logo depois, o cadastro é repassado para o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome), do Instituto Nacional do Câncer (Inca), órgão nacional responsável pelo gerenciamento das informações do doador e do paciente. Caso haja compatibilidade, o Redome entrará em contato com o doador para retirada das células.

Coordenação estadual

O Hemope é responsável pela demanda  de transfusão de toda a rede pública de saúde de Pernambuco. De acordo com a entidade, o estado possui cerca de 270 mil candidatos à doação de sangue, o que corresponde a aproximadamente 3% da população. Em relação ao número de doadores cadastrados para doação de medula óssea, o Redome aponta o quantitativo de 150 mil. 

A gerente do Hemope de Recife, Lésbia Sitcovsky, lembra que o sangue é insubstituível e essencial para salvar vidas. Além de tratar terapêuticamente pacientes com doenças hematológicas e oncológicas, também é fundamental para procedimentos médicos e cirúrgicos. 

“Não tem como substituir o sangue por nada que possa comprar ou fabricar. Então, a doação de sangue é o que vai salvar vidas. Apesar da pandemia ter reduzido a demanda, já que muitas cirurgias eletivas foram suspensas, por outro lado têm as pessoas com patologias crônicas como o câncer, que sofreram acidente, e até pacientes com a própria Covid, que precisam de transfusão sanguínea. Então, a doação de sangue é uma coisa que não pode parar e que precisa se manter efetivamente.”

A gerente destaca ainda a importância de ter doadores regulares para manter os estoques da hemorrede sempre abastecidos. O ideal é que os homens doem sangue quatro vezes ao ano, enquanto as mulheres podem doar no máximo até três vezes. A gerente pede para as pessoas que estejam em bom estado de saúde e dentro dos critérios de doação, para que se mobilizem e doem sangue e medula.  
 
“É importante que, quando você der entrada no hospital, tenha sangue disponível para te atender. Mas para isso é preciso que alguém tenha doado quatro ou cinco dias antes para que ele esteja pronto para você usar. Por isso, é muito importante que um banco de sangue tenha uma quantidade de doador fidelizado e preocupado com a saúde do outro. Então, seja um doador de sangue e repita esse ato sempre que puder e tiver com a saúde em dia”, explica Lésbia Sitcovsky.

Atendimento regional

O hemocentro regional de Caruaru, no agreste pernambucano, atende a 15 municípios. Entre eles, Alagoinha, Bezerros, Gravatá, Pesqueiro, Riacho das Almas e São Caetano. A unidade está localizada na Av. Oswaldo Cruz, sem número, Maurício de Nassau. O telefone para contato é o (81) 3719-9565.

Moradores de Caetés, Jurema, São João, Terezinha, Lagoa do Ouro e outras 15 cidades que compõem a microrregião de Garanhuns, podem procurar o hemocentro do município de Garanhuns. A unidade fica na Rua Gonçalves Maia, sem número, Heliópolis. O número para contato é o Fone: (87) 3761-8520.

Já o hemocentro de Petrolina, na região do São Francisco de Pernambuco, está próximo de sete municípios, como, por exemplo, Cabrobó, Lagoa Grande, Dormentes, Terra Nova e Santa Maria de Boa Vista. A unidade está localizada na Rua Joaquim Godoy, sem número, Centro. O telefone para contato é (87) 3831-9321.

Quem mora na região de Araripina, que é composta por dez municípios, como Exu, Santa Cruz, Trindade, Granito e Santa Filomena, podem procurar o hemocentro de Ouricuri. O endereço da unidade é Rua Ulisses Guimarães, sem número, Centro, telefone (87) 3874-4890.

E os residentes dos 17 municípios da região do Pajeú, que engloba cidades como Flores, Brejinho, Solidão, Triunfo e Carnaíba, podem procurar o hemocentro regional da Serra Talhada. A unidade está na Rua Joaquim Godoy, sem número, Centro. O número para contato é o (87) 3831-9321.

Braço solidário

Luciano Teles, 45 anos, mora no bairro Casa Amarela, na capital pernambucana, e é doador de sangue regular no Hemope. Desde os 18 anos, o produtor de eventos comparece à instituição para doar plaquetas. Em 2019, ele também se cadastrou no Redome para ser candidato à doação de medula óssea. 

“Como sou doador de plaqueta e achava que, como eu era cadastrado nesse tipo de doação diferenciada, já era cadastrado também no Redome como doador de medula óssea. Porém, em 2019, é que eu fui fazer uma confirmação para ver se realmente era cadastrado e se já tinha aparecido algum paciente compatível. Mas não estava cadastrado e então eu fiz o meu cadastro”, conta ele.

Seis meses depois chegou a confirmação. Luciano encontrou um receptor compatível. A sua primeira doação de medula aconteceu em dezembro de 2020. Ele conta que todo o procedimento foi rápido e a recuperação foi bem tranqüila. Para o pernambucano, a importância da doação de medula é saber que está salvando uma vida. 

“Com um pouco do seu sangue você pode está dando esperança não só para alguém, mas para uma família inteira. Levar esperança de cura para alguém não tem preço. A sensação de ser compatível e de salvar uma vida é o mesmo que a gente ganhar na loteria da vida”, reflete o produtor de eventos.

Doação de sangue

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, garante que doar sangue é possível graças ao SUS. “Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E, nesse sentido, é importante a doação regular. Doe sangue regularmente. Com a nossa união, a vida se completa.”
 

Onde doar sangue e medula óssea em Pernambuco

Além das unidades localizadas em Recife, Caruaru, Petrolina, Serra Talhada, Garanhuns e Ouricuri, os voluntários à doação de sangue e medula óssea no estado podem procurar os hemocentros regionais que ficam nos municípios de Arcoverde e Salgueiro. Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades, veja o mapa abaixo. 

Critérios para doação de sangue e medula óssea

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois um lanche é servido. Isso tudo leva em média 40 minutos.

Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Os vacinados devem esperar o tempo de imunização, que vai depender da marca do imunizante.

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de três meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de dois meses entre as doações. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.

Candidatos à doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea, acesse hemope.pe.gov.br.

https://app.powerbi.com/view?r=eyJrIjoiMDhiZGE5MjktN2RiMi00NjA0LWE1NDctYzNiZWJlNGQ5NzQ0IiwidCI6ImI0MWExODliLWVlZjItNDZkZi1hN2ExLWFmN2UwNTU0YjkzYiJ9&pageName=ReportSection

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *