Com redução no número de doações de sangue e medula óssea, São Paulo procura novos doadores

Em tempos de pandemia e distanciamento social, os hemocentros de São Paulo registraram queda no número de doações de sangue e de medula óssea. Todas as tipagens sanguíneas estão em alerta, mas o estoque dos tipos O positivo, A positivo, B positivo, e AB negativo recebem maior atenção, porque atingiram o nível crítico. Além da doação de sangue, os hemocentros paulistas também procuram voluntários para doação de medula óssea. É o que aponta o coordenador do Hemocentro da Unicamp, Bruno Benites.

“Muitos pacientes precisam dessas doações para diversas circunstâncias, seja por trauma, como acidente, cirurgias ou mesmo para poder fazer os seus tratamentos de quimioterapia e radioterapia. Esse é um produto que a gente ainda não consegue produzir em laboratório, então ele depende exclusivamente desse ato de boa vontade de altruísmo das pessoas, já que não existe outra fonte de em que se possa obter esse produto”, explicou.

Devido à extensão territorial, São Paulo não possui um único hemocentro que responde por todo o estado. Na Fundação Pró-Sangue, por exemplo, existem seis unidades de coleta localizadas na Região Metropolitana de São Paulo, cujo telefone é o (11) 4573-7800. Os demais hemocentros da Fundação estão localizados nos municípios de Botucatu, Campinas, Marília, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto.

Além da doação de sangue, alguns hemocentros do estado realizam cadastro voluntário para doação de medula óssea. Para isso, é preciso ir ao hemocentro mais próximo, fazer uma pequena coleta de sangue para verificar o tipo sanguíneo e a provável compatibilidade com algum paciente. 

Logo depois, o cadastro é repassado para o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome), do Instituto Nacional do Câncer (Inca), órgão nacional responsável pelo gerenciamento das informações do doador e do paciente. Caso haja compatibilidade, o Redome entrará em contato com o doador para retirada das células.

Hemocentros em São Paulo

Só na Fundação Pró-Sangue, localizada na capital do estado, existem seis postos nos bairros de Cerqueira César, Ibirapuera, Mandaqui, Presidente Altino, Jardim Barueri e Itapegica. O instituto é ligado ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Para agendar a sua doação, disque (11) 4573-7800.

Com relação aos outros hemocentros paulistas, é possível encontrar instituições nos municípios de Botucatu, Campinas, Marília, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto. Além disso, existem doze hemonúcleos espalhados por São Paulo, em cidades como Barretos, Franca, Piracicaba e Santos. 

O hemocentro de Botucatu, por exemplo, está localizado no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, na Avenida Professor Mário Rubens Guimarães Montenegro. A região é próxima de outros seis municípios, como Anhembi, Bofete, Conchas, Pardinho e São Manuel. O agendamento é feito pelo WhatsApp, nos números: (14) 9.9624-7055 ou (14) 9.9631-5650.

No Centro de Hematologia, Hemoterapia e Hemocentro de Campinas, localizado na Unicamp, na Rua Carlos Chagas, o agendamento é feito pelo telefone 0800-722-8432. A região abrange outros 15 municípios, como Americana, Hortolândia, Indaiatuba, Jaguariúna, Monte Mor e Sumaré.

No Hemocentro da Faculdade de Medicina de Marília, localizado na rua Lourival Freire, número 240, bairro Fragata, os agendamentos estão sendo realizados pelo portal do hemocentro ou pelo telefone (14) 3434-2541. A região fica próxima a outros 12 municípios, tais como Garça, Echaporã, Fernão, Gália e Alvinlândia.

Na Fundação Hemocentro de Ribeirão Preto, localizada no Campus da USP, na rua Tenente Catão Roxo, bairro Vila Monte Alegre, os agendamentos para doação de sangue são feitos pela central 0800-979-6049. A região de Ribeirão Preto abrange outros 15 municípios, tais como Guatapará, Jardinópolis, Luiz Antônio, Pontal, Pradópolis e Sertãozinho. 

Já no Hemocentro de São José do Rio Preto, localizado na Avenida Jamil Feres Kfouri, no bairro Jardim Panorama, é possível agendar a sua doação de sangue pelo (17) 3201-5151. A região de São José do Rio Preto também atende 28 municípios, como Mirassol, Nova Aliança, Bálsamo, Cedral e Guapiaçu. 

Braço solidário

Para mobilizar mais doadores de sangue e medula óssea, os hemocentros adotaram estratégias de divulgação no estado. Foi assim que Fernanda Moretto, de Campinas, se tornou uma doadora de medula óssea. A farmacêutica, de 40 anos, doava sangue desde o início da faculdade. Mas após uma doença na tireoide, foi impedida de doar. Para não abandonar o gesto de amor ao próximo, Fernanda procurou o hemocentro, explicou a situação e descobriu que, mesmo sem doar sangue, poderia ajudar de outras formas: doando medula óssea para Gabriela, uma menininha de 8 anos.

“Depois que eu doei a medula, os médicos me informaram que era uma menininha de 8 anos que tinha recebido a medula. Um ano depois, eu recebi uma cartinha linda, escrita pela receptora e a mãe dela agradecendo. Depois de uns anos a gente se conheceu e é muito bom ver que ela tá linda, a cada dia mais feliz! Eu espero que todo mundo tenha essa oportunidade de poder doar e poder ajudar também”, contou, emocionada.

Doação de sangue

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, garante que doar sangue e medula óssea é um ato de amor que pode salvar muitas vidas, “Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E, nesse sentido, é importante a doação regular. Doe sangue regularmente. Com a nossa união, a vida se completa”, afirmou.

E quem vacinou contra a Covid-19 pode doar sangue?

Após a vacinação, é preciso aguardar um período para poder doar sangue e medula, de acordo com o tipo de vacina, conforme quadro abaixo: 

LaboratórioInaptidão para doação de sangue
Coronavac48 horas
Astrazeneca/Oxford/Fiocruz7 dias
BioNTech/Fosun Pharma/Pfizer7 dias 
Janssen-Cilag7 dias
Gamaleya National Center7 dias 

 Fonte: Ministério da Saúde

Onde doar sangue e medula óssea em São Paulo

Na Região Metropolitana de São Paulo, há postos de coleta na capital e em Barueri, Guarulhos e Osasco. Algumas cidades estão fazendo o agendamento pela internet. Outras, por telefone. Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades em todo o estado de São Paulo, veja o mapa abaixo.

Critérios para doação de sangue e medula óssea

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.
 
Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Já os vacinados devem esperar o tempo de imunização, que vai depender da marca do imunizante.
 
Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de três meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de dois meses. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.
 
Candidatos à doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.
 
Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea, acesse o portal da Unicamp.

https://app.powerbi.com/view?r=eyJrIjoiMDhiZGE5MjktN2RiMi00NjA0LWE1NDctYzNiZWJlNGQ5NzQ0IiwidCI6ImI0MWExODliLWVlZjItNDZkZi1hN2ExLWFmN2UwNTU0YjkzYiJ9&pageName=ReportSection

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *