GO: Hemorrede de Goiás faz apelo à população goiana

V

A Hemorrede Pública de Goiás de Hemoterapia e Hematologia está com um déficit sanguíneo de 20% em relação ao período anterior à pandemia, segundo a instituição. Para mobilizar os goianos a doarem sangue, a rede conta o Hemocentro Coordenador, localizado em Goiânia e, também, com uma estrutura descentralizada, composta pelos hemocentros regionais. 

Goiás tem quatro hemocentros regionais, que ficam nos municípios de Catalão, Ceres, Rio Verde e Jataí. Essas unidades também recebem candidatos à doação de medula óssea. Com o objetivo de abastecer o banco de sangue e aumentar o número de doadores de medula, a Hemorrede de Goiás indica que os voluntários devem procurar o hemocentro regional mais próximo e permitir uma pequena coleta de sangue para averiguação do tipo sanguíneo e da compatibilidade. 

Logo depois, o cadastro é repassado para o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome), do Instituto Nacional do Câncer (Inca), órgão nacional responsável pelo gerenciamento das informações do doador e do paciente. Caso haja compatibilidade, o Redome entrará em contato com o doador para retirada das células.

Coordenação estadual

Denyse Goulart, diretora-geral da Hemorrede Pública de Goiás, comenta que a instituição é responsável pelo atendimento de 216 unidades de saúde em todo estado. “É muito importante termos um estoque estratégico de sangue para atender todos os tipos de patologias dos hospitais credenciados conosco”, informa. A diretora-geral diz que o déficit de doações está em 20% e esse número pode aumentar. “Por isso intensificamos nossa campanha de captação de doadores”, reforça.

Atendimento regional

O hemocentro localizado em Ceres, no centro goiano, atende, sobretudo, a outros 21 municípios. Entre eles, estão: Goianésia, Itapaci, Nova Glória, Santa Isabel e Uruana. A unidade fica na Rua 29, número 576, Centro. O telefone para contato é o (62) 3307-3843. 

Já o hemocentro de Catalão, no sul de Goiás, está mais próximo de 10 cidades, como Anhanguera, Cumari, Davinópolis, Nova Aurora e Três Ranchos. A unidade está localizada na Rua Osório Vieira Leite, número 78, Bairro São João e o telefone é o (64) 3441- 4013. 

Quem mora em Aparecida do Rio Doce, Castelândia, Mineiros, Santa Helena de Goiás, Serranópolis ou em um dos outros 13 municípios que fazem parte da microrregião do Sudoeste de Goiás, pode procurar o hemocentro regional de Rio Verde, que fica na divisa da Rua Augusta de Bastos com a Rua Luiz de Bastos, número 395, Centro, cujo telefone é o (64) 3613-1026, ou o hemocentro regional de Jataí, localizado na divisa da Rua Joaquim Caetano com a Rua Caçu, sem número, Bairro Divino Espírito Santo. O telefone é o (64) 3632-8778. 

Braço solidário

Maria Tereza Lima, 23 anos, é jornalista e reside no município de Senador Canedo (GO), fez o cadastro para doar medula óssea. Ela sempre teve o desejo de participar desse ato de solidariedade e salvar vidas. “Doar medula é uma vontade antiga. As pessoas veem isso como um tabu, pois parece que vai prejudicar a saúde do doador, mas na verdade vai salvar a vida de alguém. Medula óssea é um líquido muito precioso. Espero ser chamada em breve.”

A jornalista também ficou emocionada ao doar sangue. Desde os 18 anos ela repete o ato com maestria e amor. “Foi uma experiência fora do comum, me emocionei, é uma ação tão simples, que pode ajudar muita gente. Doei durante a pandemia também. Acho que consegui ajudar ainda mais do que antes”, conta ela. 

Doação de sangue

Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, reafirma que doar sangue é possível graças ao SUS. “Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E, nesse sentido, é importante a doação regular. Doe sangue regularmente. Com a nossa união, a vida se completa.”

E quem se vacinou contra a Covid-19 pode doar sangue?

Após a vacinação, é preciso aguardar um período para poder doar sangue e medula, de acordo com o tipo de vacina, conforme quadro abaixo: 

LaboratórioInaptidão para doação de sangue
Coronavac48 horas
Astrazeneca/Oxford/Fiocruz7 dias
BioNTech/Fosun Pharma/Pfizer7 dias 
Janssen-Cilag7 dias
Gamaleya National Center7 dias 

Fonte: Ministério da Saúde

Onde doar sangue e se cadastrar para doar medula óssea em Goiás

Além dos hemocentros regionais, os voluntários à doação de sangue e medula óssea no estado podem procurar as unidades de coleta e transfusão, que ficam nos municípios de Formosa, Iporá, Porangatu e Quirinópolis. Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades, veja o mapa abaixo. 

Critérios para doação de sangue e medula óssea

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.
 
Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Já os vacinados devem esperar o tempo de imunização, que vai depender da marca do imunizante.
 
Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de três meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de dois meses entre as doações. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.
 
Candidatos à doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.
 
Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea, acesse hemocentro.org.br.

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *