Pernambuco: 117 famílias serão beneficiadas com sistema de irrigação no interior do estado

Secretário nacional de Segurança Hídrica do MDR, Sérgio Costa, assinou ordem de serviço para elaboração de projetos básico e executivo e implantação dos 117 sistemas de irrigação em Cabrobó. Foto: Mariana Barros/MDR

Os moradores de uma pequena região, no interior de Pernambuco, serão beneficiados com a instalação dos primeiros sistemas de irrigação em Vilas Produtivas Rurais (VPRs) que integram programas socioambientais do Projeto de Integração do Rio São Francisco. Isso porque o Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), está investindo R$ 11,7 milhões para melhorar a qualidade de vida de aproximadamente 117 famílias na VPR Captação e na comunidade indígena Truká, ambas na cidade de Cabrob

ó (PE).

As obras estão previstas para começar em outubro e devem durar 20 meses. Neguinho Truká, que é cacique do povoado indígena, comemorou a chegada de investimentos para apoiar a produção agrícola. “E quando se investe em um território indígena, o senhor pode ter certeza que está fomentando a economia local. Porque isso gera emprego, gera renda. Faz com que a nossa juventude não precise migrar para os grandes centros”, comentou. 

Para o secretário Nacional de Segurança Hídrica do MDR, Sérgio Costa, esse tipo de ação é uma forma de levar prosperidade e saúde para essas famílias. “Água é vida, água é desenvolvimento, água traz dignidade às pessoas. E é isso o que temos buscado trazer no Ministério do Desenvolvimento Regional, por meio de diversas obras com foco em garantir segurança hídrica para a população brasileira, sobretudo na Região Nordeste”, destaca Costa.

Desta forma, foi assinada a ordem de serviço para elaboração de projetos básico e executivo e implantação dos sistemas de irrigação. Na VPR Captação, serão 17 hectares de área irrigada e na comunidade indígena Truká, 100 hectares. As obras estão previstas para começar em outubro e devem durar 20 meses. Cada lote familiar tem um hectare destinado à irrigação e vai contar com um sistema.

Complicações por doenças cardíacas podem matar 400 mil em 2021

Ministério da Saúde alerta sobre a importância da doação de sangue

A ação em Cabrobó (PE) faz parte do Programa de Fornecimento de Água e Apoio Técnico para Pequenas Atividades de Irrigação ao Longo dos Canais para as Comunidades Agrícolas – que é um dos 38 programas socioambientais do Projeto de Integração do Rio São Francisco. 

Por isso, a proposta é melhorar as condições socioeconômicas e culturais da região, com a implementação da irrigação de pequeno porte e assistência técnica como forma de garantir a melhoria da produção e diversidade de culturas nas pequenas propriedades ao longo dos canais do Projeto de Integração do Rio São Francisco.

O investimento inicial no Programa de Fornecimento de Água e Apoio Técnico para Pequenas Atividades de Irrigação ao Longo dos Canais para as Comunidades Agrícolas é de cerca de R$ 78 milhões. As ações vão beneficiar 703 famílias de 13 VPRs, e a etnia Truká no Ceará, na Paraíba e em Pernambuco.

Projeto de Integração do Rio São Francisco

O Projeto de Integração do Rio São Francisco pretende levar água de qualidade para 12 milhões de brasileiros de 390 municípios dos estados do Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. O empreendimento hídrico é composto por dois eixos de transferência de água: Norte, com 260 quilômetros de extensão; e Leste, com 217 quilômetros. As estruturas captam a água do Rio São Francisco, no interior de Pernambuco, para abastecer adutoras e ramais que vão perenizar rios e açudes existentes na região.

Vilas Produtivas Rurais

O Projeto de Integração do Rio São Francisco mudou a realidade dos moradores na faixa de implantação das obras. Ao todo, 848 famílias foram reassentadas em 18 Vilas Produtivas Rurais nos estados do Ceará, da Paraíba e de Pernambuco.

As VPRs contam com casas de 99m², postos de saúde, escolas, praças, quadras poliesportivas, campo de futebol, centro comunitário, além de rede de água, esgoto e energia elétrica. Os moradores também recebem setores produtivos, com no mínimo cinco hectares por beneficiário, sendo um destinado à irrigação.

As famílias contam, ainda, com visitas periódicas de técnicos do MDR e participam de capacitações e oficinas, que têm o objetivo de garantir a reinserção e a organização socioeconômica dessas comunidades.

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *