Anabolizantes: Não é ruim como parece, mas deve ser usado com os devidos cuidados

Comumente associado ao uso indiscriminado por atletas, os anabolizantes não são tão vilões como parece. O médico Dr. Rafael Soares explica o que são e como eles podem fazer bem para a pessoa.

Quem já ouviu falar de esteroides anabolizantes deve ter uma opinião de que é algo prejudicial à saúde. No entanto, ao contrário do que dita o senso comum, quando corretamente empregados eles poderão fazer muito bem para a saúde. Mas, para que isso aconteça, é fundamental que o seu uso seja prescrito e acompanhado por um médico devidamente qualificado para isso.

Em artigo publicado no Centro de Pesquisas e Análises Heráclito (CPAH), o médico nutrólogo e dermatologista Dr. Rafael Soares revela que os esteroides anabólico androgênicos (seu nome completo), nada mais são do que a própria testosterona ou derivados/análogos dela. Além de sua produção natural, é comum que algumas pessoas a tomem em comprimido ou injetem no corpo via injeção em busca de melhorias no condicionamento físico. Porém, conforme lembra o médico, é fundamental que o uso dele tenha o suporte correto. “Cada vez mais as evidências científicas mostram que o uso de substâncias como os esteroides anabolizantes tem grandes benefícios para a nossa saúde, mas somente quando são usados corretamente, ou seja, prescritos por médicos que dominam as combinações e o uso ideal para as necessidades daquele pacientes”.

Por outro lado, é preciso cautela e atenção, recomenda o médico. “Observem que o nosso corpo já produz testosterona naturalmente. Se eu começo a adquiri-la por uma via externa, o reflexo do nosso organismo será parar de produzi-la. É como se tivéssemos internamente uma torneira que saísse água e de repente começasse a chover. A torneira vai perceber aquela situação e fechará, evitando o desperdício. É mais ou menos assim que o corpo funciona”.

Dr. Rafael lembra que depois de ter usado o anabolizante, “dificilmente os níveis de produção do organismo serão iguais aos anteriores”. Mas, antes de se alarmar, ele lembra: “o ideal é fazer um acompanhamento frequente com o médico para poder ir ajustando a dose que a pessoa precisa. Se a sua testosterona estiver em nível legal, talvez nem valha a pena usar estas medidas externas. Tudo vai depender do resultado que você deseja. Nesse caso, é importante ter ciência dos efeitos exagerados que isso pode causar e avaliar se vale a pena submeter a estes riscos”, acrescenta.

Sobre os efeitos colaterais, Soares explica que “pode ocorrer uma pequena queda de cabelo, aparecerem algumas espinhas e ter um pouco de retenção. Porém, casos como tromboses, surgimento de muitas espinhas pelo corpo, hipertensão ou aumento da musculatura do coração só acontecem quando há abuso ou um uso dos anabolizantes por um tempo muito prolongado”. Antes de procurar o médico, lembre-se de um detalhe primordial: “Os anabolizantes são remédios, drogas, fármacos e como tal têm seus efeitos colaterais. Então, é preciso saber que exageros não vão te fazer bem, o que reforça a importância de ter suporte profissional para ajudar no tratamento. Essa pessoa saberá explicar como os esteroides funcionam, o tempo de ação no organismo, o período de tratamento e demais detalhes a respeito da segurança do tratamento”, completa.

Sobre o especialista

Doutor Rafael Soares é médico pela Universidade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre, com título de especialista em dermatologia pela Associação Médica Brasileira (AMB) e Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), assim como pós-graduação em nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia. Seu número de registro no CRM é 128012-SP.

Além da atuação na dermatologia clínica e estética e na nutrologia, Dr. Rafael Soares iniciou a docência em 2009, na mesma instituição onde se formou. Atualmente, voltado a ministrar cursos específicos de especialização e é referência no tratamento de doenças de pele e de técnicas exclusivas em estética. (Veja mais aqui

FONTE: MF Press Global

Consultoria, comunicação, assessoria de imprensa e artística

Consultoria, comunicación, asesoria de prensa y artístico

Consulting, communication, press and artistic consultancy

www.pressmf.global – [email protected] 

Comumente associado ao uso indiscriminado por atletas, os anabolizantes não são tão vilões como parece. O médico Dr. Rafael Soares explica o que são e como eles podem fazer bem para a pessoa.

Quem já ouviu falar de esteroides anabolizantes deve ter uma opinião de que é algo prejudicial à saúde. No entanto, ao contrário do que dita o senso comum, quando corretamente empregados eles poderão fazer muito bem para a saúde. Mas, para que isso aconteça, é fundamental que o seu uso seja prescrito e acompanhado por um médico devidamente qualificado para isso.

Em artigo publicado no Centro de Pesquisas e Análises Heráclito (CPAH), o médico nutrólogo e dermatologista Dr. Rafael Soares revela que os esteroides anabólico androgênicos (seu nome completo), nada mais são do que a própria testosterona ou derivados/análogos dela. Além de sua produção natural, é comum que algumas pessoas a tomem em comprimido ou injetem no corpo via injeção em busca de melhorias no condicionamento físico. Porém, conforme lembra o médico, é fundamental que o uso dele tenha o suporte correto. “Cada vez mais as evidências científicas mostram que o uso de substâncias como os esteroides anabolizantes tem grandes benefícios para a nossa saúde, mas somente quando são usados corretamente, ou seja, prescritos por médicos que dominam as combinações e o uso ideal para as necessidades daquele pacientes”.

Por outro lado, é preciso cautela e atenção, recomenda o médico. “Observem que o nosso corpo já produz testosterona naturalmente. Se eu começo a adquiri-la por uma via externa, o reflexo do nosso organismo será parar de produzi-la. É como se tivéssemos internamente uma torneira que saísse água e de repente começasse a chover. A torneira vai perceber aquela situação e fechará, evitando o desperdício. É mais ou menos assim que o corpo funciona”.

Dr. Rafael lembra que depois de ter usado o anabolizante, “dificilmente os níveis de produção do organismo serão iguais aos anteriores”. Mas, antes de se alarmar, ele lembra: “o ideal é fazer um acompanhamento frequente com o médico para poder ir ajustando a dose que a pessoa precisa. Se a sua testosterona estiver em nível legal, talvez nem valha a pena usar estas medidas externas. Tudo vai depender do resultado que você deseja. Nesse caso, é importante ter ciência dos efeitos exagerados que isso pode causar e avaliar se vale a pena submeter a estes riscos”, acrescenta.

Sobre os efeitos colaterais, Soares explica que “pode ocorrer uma pequena queda de cabelo, aparecerem algumas espinhas e ter um pouco de retenção. Porém, casos como tromboses, surgimento de muitas espinhas pelo corpo, hipertensão ou aumento da musculatura do coração só acontecem quando há abuso ou um uso dos anabolizantes por um tempo muito prolongado”. Antes de procurar o médico, lembre-se de um detalhe primordial: “Os anabolizantes são remédios, drogas, fármacos e como tal têm seus efeitos colaterais. Então, é preciso saber que exageros não vão te fazer bem, o que reforça a importância de ter suporte profissional para ajudar no tratamento. Essa pessoa saberá explicar como os esteroides funcionam, o tempo de ação no organismo, o período de tratamento e demais detalhes a respeito da segurança do tratamento”, completa.

Sobre o especialista

Doutor Rafael Soares é médico pela Universidade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre, com título de especialista em dermatologia pela Associação Médica Brasileira (AMB) e Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), assim como pós-graduação em nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia. Seu número de registro no CRM é 128012-SP.

Além da atuação na dermatologia clínica e estética e na nutrologia, Dr. Rafael Soares iniciou a docência em 2009, na mesma instituição onde se formou. Atualmente, voltado a ministrar cursos específicos de especialização e é referência no tratamento de doenças de pele e de técnicas exclusivas em estética. (Veja mais aqui

FONTE: MF Press Global

Consultoria, comunicação, assessoria de imprensa e artística

Consultoria, comunicación, asesoria de prensa y artístico

Consulting, communication, press and artistic consultancy

www.pressmf.global – [email protected] 

Please follow and like us:
Esta entrada foi publicada em Informe científico. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *