Defesa Civil Nacional vai ao Paraná para verificar in loco estragos causados por chuvas intensas

Foto: Defesa Civil

A Defesa Civil Nacional enviou, nesta terça-feira (26), uma equipe ao Paraná para verificar in loco os estragos causados pelas fortes chuvas e vendavais que atingiram o estado entre os dias 22 e 24 de outubro. O desastre atingiu mais de 33,7 mil pessoas em 68 cidades. Confira a lista completa.

Duas equipes do Grupo de Apoio a Desastres (Gade) foram mobilizadas. A primeira, com três servidores, além do secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, está em Maringá. A outra equipe, com duas pessoas, foi enviada a Foz do Iguaçu. Os dois municípios estão entre os atingidos pelo desastre e vão servir como base para as atividades da missão.

“São grandes destelhamentos, vários desabrigados e muitas pessoas precisando do auxílio do Governo Federal para recuperar suas residências e as infraestruturas públicas afetadas”, destaca o secretário Alexandre Lucas. “A nossa missão será agilizar os processos de decretação de situação de emergência e, principalmente, a liberação de recursos para a recuperação das áreas afetadas”, informa.

Como solicitar recursos federais

Para solicitar recursos federais para ações de defesa civil, os estados e municípios afetados por desastres naturais devem ter decretado situação de emergência ou estado de calamidade pública. Em seguida, o reconhecimento federal deve ser solicitado ao MDR, por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). O pedido deve atender aos critérios da Instrução Normativa n. 36/2020.

Após a publicação do reconhecimento federal por meio de portaria no DOU, o estado ou município podem solicitar repasses para restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de infraestrutura pública danificada pelo desastre.

Com base nas informações enviadas por meio do S2iD, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do valor a ser liberado.

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *