Economia mineral: avaliação do desempenho brasileiro no mercado internacional de rochas ornamentais

Mineração - Foto: Divulgação

A Associação Brasileira de Rochas Ornamentais (Abirochas) recebeu críticas pelo seu trabalho à frente do convênio da Apex-Brasil, desenvolvido de 2000 a 2020 e focado na promoção das exportações brasileiras de rochas ornamentais e de revestimento. Como dever de ofício e em respeito às suas responsabilidades junto ao setor do qual é a entidade nacional representativa, o texto a seguir apresentado analisa o desempenho brasileiro no mercado internacional de rochas ornamentais.

Em bases estritamente técnicas, procura-se comparar a trajetória brasileira à de outros grandes players mundiais do setor, analisando-se os fatores que, acredita-se, tenham realmente condicionado as flutuações de mercado. No mesmo sentido, procura-se esclarecer que o desempenho brasileiro não pode ser apenas remetido ao seu programa de promoção de exportações, mas está, sim, atrelado a condicionantes sistêmicas de competitividade.

Produção Mineral Baiana Comercializada cresceu 36% em setembro

Amarillo Gold iniciará construção da linha de transmissão que fornecerá energia elétrica para o projeto da mina de Posse

Minério de Ferro: exportações têm ligeira queda em setembro

A principal conclusão é que o Brasil teve uma trajetória realmente exitosa no mercado internacional, firmando-se entre os cinco principais players mundiais do setor e as rochas ornamentais como quinto principal produto mineral brasileiro de exportação. Não reconhecer essas conquistas equivale a desmerecer a estratégia liderada pela Abirochas, o apoio fundamental da Apex-Brasil e o competente esforço do empresariado brasileiro.

Não por acaso, as exportações brasileiras de rochas ornamentais deverão atingir US$ 1,2 bilhão em 2021 e obter um incremento de pelo menos 20% frente a 2020. Colhem- -se os frutos de uma bem-sucedida estratégia de inserção internacional da qual a Abirochas foi protagonista fundamental.

Leia o artigo completo na edição 414 de Brasil Mineral.
 

Marquezan AraújoMarquezan é formado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), atuou como âncora de jornal radiofônico e locutor de programa musical. Passou por estágios na Agência Brasil e na Rádio Nacional, da EBC. Repórter da Agência do Rádio desde 2016, acompanha as movimentações do Legislativo no Congresso Nacional.Edição:

Luciana BuenoJornalista formada há 15 anos e pós-graduada em ciências políticas, com experiência em redação, rádio, televisão e assessoria de imprensa. Antes de ingressar na redação do Brasil 61, passou por importantes órgãos, como Ministério da Saúde e Ministério da Justiça além de grandes emissoras como, TV Bandeirantes, Record e TV Globo. Possui experiência em gerenciamento de crise, jornalismo web, redação, edição e revisão de textos, produção de conteúdo de rádio, televisão e assessoria de comunicação.

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *