Brasil começa a vacinar crianças de 5 a 11 anos contra Covid-19

Governador em exercício do DF, Paco Britto, acompanha vacinação de criança, neste domingo (16), na Unidade Básica de Saúde nº 5 (UBS 5), em Taguatinga.  Foto: Vinícius Melo / Agência Brasília

O Ministério da Saúde concluiu, em menos de 48 horas, a distribuição do primeiro lote de vacinas pediátricas da Pfizer. A remessa de 1,2 milhão de imunizantes chegou ao Brasil na madrugada de quinta-feira (13) e o ministério da começou imediatamente a logística para fazer a entrega aos estados e ao Distrito Federal em tempo recorde. O último voo chegou a Rio Branco, no Acre, por volta da zero hora de sábado (15). Após a entrega, as secretarias estaduais de saúde já começaram a imunização.


No Distrito Federal, a vacinação começou neste domingo (16) em postos específicos para as crianças de 11 anos e as de 5 a 11 com comorbidades. O bancário Fabrício Costa, morador de Brasília, foi ao posto de saúde mais próximo de casa e nem a longa fila desanimou. “Vale a pena a espera, a gente está até empolgado aqui. Vai dar tudo certo hoje, tinha até receio de que a gente ia conseguir, mas vamos conseguir, sim, estamos aqui perseverando na fila”. 

A filha, Carolina Costa, tem 11 anos e nem reclamou da espera: “Ah, eu acho bom vacinar porque é mais seguro para as pessoas e eu tava muito muito feliz para vir vacinar. ”

Apesar de as crianças desenvolverem quadros menos graves de Covid-19, dados de 2020 e 2021 do Ministério da Saúde apontam que o Brasil soma 1.449 mortes de meninos e meninas de até 11 anos em decorrência do novo coronavírus. Além disso, foram registrados mais de 2.400 casos da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P) associada à Covid-19. A médica infectologista Joana D’arc Gonçalves ressalta a proteção que a vacina confere às crianças. 

“Criança também pode, sim, desenvolver quadros graves de Covid. A gente tem visto que, inclusive, aquelas que desenvolvem a Síndrome Inflamatória Multissistêmica, no Brasil, a mortalidade por essa síndrome é três vezes maior que nos Estados Unidos e na Europa. Existem inúmeras complicações para crianças também. Então, claro que vale a pena imunizá-las.”, afirma a médica.

De acordo com a infectologista, é importante que as crianças também sejam vacinadas no contexto da pandemia porque quanto mais pessoas estiverem imunizadas, maior será a proteção coletiva. “Quanto mais pessoas vacinadas, menor a circulação viral, aí por meio da vacina, a gente consegue erradicar e controlar diversas doenças.”, explica.

Chegada de mais vacinas


Segundo o Ministério da Saúde, um novo lote com 1,2 milhão de doses de vacinas pediátricas contra a Covid-19 deve chegar ainda neste domingo(16) ao Brasil. A Pasta conseguiu antecipar junto à farmacêutica Pfizer a entrega desses imunizantes.  Além disso, outro lote com 1,8 milhão de doses de vacinas também deve chegar ao Brasil até 27 de janeiro, Segundo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o Governo Federal garantiu doses suficientes para imunizar os brasileiros em 2022.


A inclusão de crianças no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO) foi anunciada no dia 5 janeiro. Para a imunização das crianças de 5 a 11 será necessária a presença dos responsáveis no ato da vacinação. O esquema vacinal para crianças é composto por duas doses com intervalo de oito semanas entre a D1 e D2.
 

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *