Goiás reforça ações nos municípios para acabar com focos de Aedes aegypti

Combata o mosquito todo dia. Foto: Divulgação

Em 2021, o estado de Goiás registrou 48,7 mil casos de dengue. Desses, 24 vieram a óbito. Apesar do número alto, de forma geral, o estado registrou redução quando comparado à quantidade de casos confirmados em 2020. Os últimos dados disponíveis mostram que a maior parte dos 246 municípios está em situação de risco regular com relação ao Aedes aegypti. A referência para avaliar o risco de infestação é medida a partir da identificação de locais com larvas do mosquito em comparação à quantidade de habitantes na área. 

Segundo a Secretaria de Saúde de Goiás, pelo menos sete municípios goianos estão em alto risco: Turvânia, Joviânia, São Luís de Montes Belos, Buriti de Goiás, Sanclerlândia, Mossâmedes e São Miguel do Passa Quatro  (veja mais informações na arte). A avaliação considera os resultados do último Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), que traz dados de todas as semanas epidemiológicas de 2021.  Segundo a gerente de Vigilância Ambiental e Saúde do Trabalhador de Goiás, Edna Covem, essas cidades estão espalhadas em diferentes regiões do estado. “Isso dificulta a atuação, uma vez que a presença do mosquito pode se espalhar por municípios vizinhos”, avalia. 

Ao verificar o risco, a secretaria estadual de saúde aciona a gestão municipal para que sejam alocadas equipes de combate à endemia no campo, para identificar e eliminar focos do mosquito com inseticidas e mutirões de limpeza. “Essa ação de combate ao mosquito não é só da saúde, ela é da saúde, ela é da limpeza urbana, ela é da comunicação social para alertar a população que a situação está ficando de risco, então a população precisa se mobilizar.”, reforça Edna Covem. 

Ao perceber uma concentração de casos na vizinhança, é fundamental que a população acione rapidamente a secretaria de saúde para que ações preventivas contra o mosquito. Durante o verão, devido às chuvas e altas temperaturas, o mosquito se reproduz mais rapidamente. Por isso, o Ministério da Saúde reforça a necessidade de que cada cidadão inspecione os lugares em que mora ou trabalha para que não sejam depósito de ovos do mosquito. O tema é tratado na Campanha Combata o Mosquito Todo Dia. 

“A campanha traz à tona a questão de cada um buscar a responsabilidade dentro do seu quintal, do seu local de trabalho e utilizar dez minutos da sua semana para fazer uma revisão nos principais locais onde possam ter criadouros do mosquito e elimine esses criadouros, não deixe que o mosquito nasça”, pondera o coordenador-geral de Vigilância de Arboviroses do Ministério da Saúde, Cássio Peterka. 

Situação do Brasil

O Brasil registrou queda 42,6% no número de casos prováveis de dengue entre 2020 e 2021. No ano passado, foram notificadas 543.647 infecções, contra 947.192 em 2020. Os dados são da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.  Entre os casos de zika, houve uma pequena redução de 15%, passando de 7.235 notificações em 2020 para 6.143 em 2021. Já a chikungunya registrou aumento de 32,66% dos casos, com 72.584 em 2020 e 96.288 no ano passado.

O sanitarista da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) de Brasília, Claudio Maierovitch, destaca que 2020 foi um ano de muitos casos e, por isso, não se deve relaxar com a queda de contágios em 2021. “Mesmo não tendo havido aumento de um ano para o outro, essa não é boa comparação, uma vez que o ano anterior foi de números altos”, alerta.

Brasil tem queda de 42,6% nos casos de dengue entre 2020 e 2021, mas números ainda são altos

Cuidados necessários 

Devido às altas temperaturas e às chuvas abundantes, o verão é o período do ano em que os ovos eclodem e acarretam o aumento de infecção por dengue, chikungunya e zika. Por isso, fique atento às dicas para evitar a proliferação do mosquito:

  1. Vire garrafas, baldes e vasilhas para não acumularem água.
  2. Coloque areia nos pratos e vasos de plantas.
  3. Feche bem os sacos e lixo.
  4. Guarde os pneus em locais cobertos.
  5. Tampe bem a caixa-d´água.
  6. Limpe as calhas.

Para evitar a proliferação do mosquito, a população deve checar calhas, garrafas, pneus, lixo, vasos de planta e caixas d’água. Não deixe água parada. Combata o mosquito todo dia. Coloque na sua rotina.

Veja no mapa a incidência de dengue no seu estado

https://brasil61.com/widgets/mapa/108

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *