Inmet emite alerta de perigo para chuvas intensas no Sudeste até terça-feira (8)

Leitos de UTI. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Os quatro estados da Região Sudeste devem enfrentar chuvas intensas até a madrugada da próxima terça-feira (8). Em algumas áreas, o acumulado de chuva pode ultrapassar os 150 mm. O alerta é do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), que classifica o grau de severidade das chuvas como perigoso. 

A Defesa Civil Nacional ressalta que está monitorando a situação e que já notificou as regiões mais possivelmente afetadas (confira abaixo). As autoridades municipais e a população devem ficar atentas, pois os temporais podem causar alagamentos, inundações, enxurradas e deslizamentos de terra em áreas de encosta. Um dos fenômenos climáticos responsáveis pelas fortes chuvas no Sudeste é a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS). 

Andrea Ramos, meteorologista do Inmet, explica as ZCAS. “É um corredor de umidade que fica posicionado e que mantém essas chuvas constantes. Quando se formam essas ZCAS, elas causam de três a cinco dias de chuva, é uma característica. Ela proporciona chuvas fracas, moderadas, em alguns momentos fortes, e vai acumulando essas chuvas que, por mais que fique um ou dois dias sem chover, mas o fato de nos últimos dias já ter esse acumulado mantém os alagamentos e transbordamentos”, detalha. 

Segundo o Inmet, é possível a formação de uma nova ZCAS entre segunda (7) e terça-feira (8). Dessa vez, o fenômeno ficará sobre o estado de Minas Gerais, mas também terá reflexos em partes do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul e Paraná. 

O órgão pede atenção especial para as faixas leste e nordeste de São Paulo, o que inclui áreas da Serra do Mar e o litoral, Minas Gerais (exceto o Vale do Mucuri e Jequitinhonha, região Serrana e centro-sul do Rio de Janeiro, e centro-sul do Espírito Santo. 

Áreas mais afetadas
Em Minas Gerais, os locais que devem ser mais afetados são: Região Metropolitana de Belo Horizonte, Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba, Central Mineira, Zona da Mata, Vale do Rio Doce, Oeste de Minas, Sul/Sudoeste de Minas, Campo das Vertentes, Vale do Jequitinhonha, Vale do Mucuri, Norte de Minas e Noroeste de Minas.

No estado de São Paulo, as áreas de atenção abrangem a Região Macrometropolitana, o Vale do Paraíba e as localidades em torno de Presidente Prudente, Campinas, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto, Araçatuba, Marília, Assis e Bauru.

Já no Rio de Janeiro, devem ficar atentos os moradores da Região Metropolitana da capital fluminense e do Noroeste, Centro, Sul e Norte do estado. No Espírito Santo, por sua vez, as áreas de atenção são: Central, Sul e Noroeste.

Novo Ensino Médio começa a ser implementado nas escolas

Qual a diferença entre dengue, zika e chikungunya? Saiba mais sobre as doenças

Cuidados
Diante do cenário, a Defesa Civil reforça os cuidados que a população pode tomar para reduzir as perdas materiais e evitar incidentes mais graves, como mortes, se as chuvas intensas se confirmarem. Um deles é desligar os aparelhos elétricos e o quadro geral de energia. 

Em caso de enxurrada, coloque os documentos e objetos de valor em sacos plásticos. Se houver uma situação de grande perigo, procure abrigo e evite permanecer ao ar livre. Em ocasiões de rajadas de vento, não se abrigue debaixo de árvores e não estacione veículos perto de torres de transmissão e placas de propaganda.  

Para mais informações, procure a Defesa Civil pelo telefone 199 ou o Corpo de Bombeiros, pelo 193. 

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *