Mortes por COVID-19 aumentam e biólogo alerta para os riscos devido à maior ansiedade

Com o agravamento da pandemia, o neurocientista Dr. Fabiano de Abreu comenta sobre a possibilidade de piora de outras condições

Ainda no início da pandemia, o PhD em neurociências, biólogo e antropólogo Dr. Fabiano de Abreu, já se manifestava sobre os altos riscos de morte no Brasil relacionado ao fato do país ser o mais ansioso do mundo segundo a OMS.

Após um cenário de redução do quadro pandêmico, o Brasil se encontra novamente com grandes problemas conectados com o vírus da Covid-19. A média móvel de mortes no país foi de 604, a mais alta em 5 meses. “Estamos recebendo um aumento significativo de casos de transtornos, distúrbios e doenças que têm relação com esta ansiedade constante e intensa depois de tanto tempo de pandemia. Era de se imaginar, mas é mais preocupante quando os dados apontam para um alerta de urgência”.

De acordo com o neurocientista, a ansiedade afeta significativamente o sistema imunológico e, por isso, este não é o momento para baixar a guarda. “A Covid-19 é uma doença grave que exige muito do sistema imunológico. Quando somos expostos a uma forte carga emocional, o nosso organismo produz hormônios de forma descontrolada, afetando não só o sistema imunológico como todas as funções orgânicas que ele desempenha”, explica.

Com o passar do tempo, o Dr. Fabiano acredita que a tendência seja as pessoas se acostumarem com a atmosfera negativa criada pela pandemia, porém isso não significa que o problema foi resolvido. “ Hoje, temos vertentes que nos colocam em riscos como, ansiedade exacerbada, variantes, outros vírus, hospitais cheios, entre outros. Não voltamos à normalidade, estamos vivendo uma nova realidade. O organismo se adapta e, devido à atmosfera negativa da ansiedade, opta por não pensar nos prejuízos”, pontua.

Sobre o Dr. Fabiano de Abreu

Prof. Dr. Fabiano de Abreu Agrela Rodrigues é PhD em Neurociências, Mestre em Psicanálise, Doutor e Mestre em Ciências da Saúde nas áreas de Psicologia e Neurociências com formações também em neuropsicologia, licenciatura em biologia e em história, tecnólogo em antropologia, pós graduado em Programação Neurolinguística, Neuroplasticidade, Inteligência Artificial, Neurociência aplicada à Aprendizagem, Psicologia Existencial Humanista e Fenomenológica, MBA, autorrealização, propósito e sentido, Filosofia, Jornalismo, Programação em Python e formação profissional em Nutrição Clínica. Atualmente, é diretor do Centro de Pesquisas e Análises Heráclito; Chefe do Departamento de Ciências e Tecnologia da Logos University International, diretor da MF Press Global, membro da Sociedade Brasileira de Neurociências e da Society for Neuroscience, maior sociedade de neurociências do mundo, nos Estados Unidos. Membro da Mensa International, Intertel e Triple Nine Society (TNS), associações e sociedade de pessoas de alto QI, esta última TNS, a mais restrita do mundo; especialista em estudos sobre comportamento humano e inteligência com mais de 100 estudos publicados.

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em Informe científico. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *