Exportações brasileiras de milho devem atingir 530 mil toneladas em fevereiro, revela Anec

Milho. Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

As exportações brasileiras de milho devem encerrar o mês de fevereiro de 2022 em 530 mil toneladas. A projeção é da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec). No mesmo mês do ano passado, o Brasil exportou 508,407 mil toneladas. No acumulado de 2022, os

embarques atingem 2,573 milhões de toneladas.

Apesar desse quadro, o presidente institucional da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho), Cesario Ramalho, entende que as condições climáticas devem comprometer o desempenho das safras durante 2022.  

“O efeito La Niña machucou enormemente os três estados do centro-sul, além de uma grande parte do Mato Grosso do Sul. Todos registraram poucas chuvas. O Paraná, por exemplo, que é um grande produtor, está com dificuldades. Mas é muito importante observar que, apesar de toda a quebra no ano passado, conseguimos atingir uma produção maior do que o consumo”, destaca. 

Exportações de carnes aumentam 39,8% em janeiro de 2022

Pesquisa: Agropecuária de baixa emissão é solução sustentável para Brasil bater novos recordes de exportação

Ramalho também destaca que os conflitos entre Rússia e Ucrânia podem afetar os preços das negociações do milho, o que acarreta em aumento do valor dos produtos para os consumidores. 

“Os grandes produtores de fertilizantes são países localizados naquela região, como Bielorrússia e a própria Rússia. E esses insumos dobraram de um ano para o outro. Já os defensivos triplicaram. Então, temos essa pressão. A Ucrânia é um país importante, que prende bastante milho na Europa. Se esse país tiver problemas de plantio, o preço do milho pode subir mais ainda no mercado internacional”, considera. 

Cereais e farinhas 

Dados divulgados pela Secretaria de Comércio e Relações Internacionais (SCRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) mostram que as exportações de cereais, farinhas e preparações atingiram US$ 931,07 milhões, ou seja, uma alta de 62,1%, impulsionadas pelas vendas externas de milho e trigo. Este último acumulou rendimento de US$ 190,93 milhões, junto a um salto de 121%.

Em relação ao milho, o quadro de oferta e demanda da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) aponta uma projeção de estoque inicial de passagem de praticamente 9 milhões de toneladas, no início da safra 2021/2022. Foram exportadas 2,7 milhões de toneladas em janeiro, com elevação de 16,5%. 
 

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *