Autoproteção e proteção pública e comunitária são tema de debate com convidados e especialistas

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) promoveu, nesta quinta-feira (28), um debate sobre autoproteção, proteção pública e proteção comunitária, com a participação de convidados e especialistas na área. O evento foi o segundo de uma série, batizada de Bate-papo com a Defesa Civil, que será realizada sempre na última quinta-feira do mês, com transmissão pelo canal do MDR no YouTube. A intenção é ampliar a discussão para a gestão de riscos de desastres e a atuação das defesas civis de forma integrada e sistêmica.  

No evento desta quinta-feira, o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, destacou a importância da comunicação de risco em casos de desastres para que a população possa se prevenir.

“Sem comunicação de risco, nós não vamos avançar aqui no Brasil nessas situações de desastres. É preciso que os municípios, principalmente, se alinhem com as tecnologias disponíveis e sejam criativos, com ações para agregar melhorias na estratégia de comunicação que já temos”, observou.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) e atual presidente do Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares (Ligabom), coronel Edgard Estevo da Silva, ressaltou que as ações de autoproteção estão cada vez mais difundidas.

“Nós temos uma previsibilidade. Normalmente, já há áreas mapeadas como de risco para deslizamentos, para enchentes e inundações e temos como fazer esse trabalho de autoproteção para as pessoas que estão nesses locais, fazer prevenção, levar informação”, relatou.

O coordenador-geral de Gerenciamento de Desastres da Defesa Civil Nacional, Tiago Molina Schnorr, também reforçou a importância do crescimento das ações de autoproteção e, principalmente, da evolução nas medidas de prevenção de desastres.

“Hoje, conseguimos prever cada vez mais os desastres. Os mecanismos estão cada vez melhores. As tecnologias possibilitam isso. Temos conseguido antecipar quase todos. Por isso, é importante ter uma estratégia eficiente de levar informação à população”, analisou.

Nas próximas edições, serão debatidos temas como importância e formação dos Nupdecs; cidades resilientes; planos municipais de redução de riscos; atendimento psicossocial em desastres; resgate de animais em desastres; e barragens Sabo. O terceiro bate-papo está previsto para o dia 25 de agosto.

Confira abaixo a íntegra do evento:

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.