Câncer de intestino pode ser hereditário?

Você conhece alguém que teve câncer de intestino quando era jovem, com menos de 50 anos? Sua família tem casos de câncer do trato digestivo? Neste episódio a Dra. Allyne Queiroz dá mais detalhes sobre o assunto.

Quando você deve suspeitar de câncer de intestino hereditário na sua família?

  • Se você ou algum parente teve câncer de intestino com menos de 50 anos de idade.
  • Se tem casos de câncer de intestino, estômago, pâncreas ou fígado na família. 
  • Pólipos intestinais (crescimento de tecido anormal em uma membrana mucosa).  Você já retirou pelo menos 10 pólipos nas suas colonoscopias durante a sua vida? Ou mais de 100 pólipos em uma única colonoscopia?
  • Já teve dois tumores do trato digestivo mesmo que em momentos diferentes? Por exemplo: câncer de estômago aos 40 anos e câncer de intestino aos 46 anos. Então o problema também pode ser hereditário.
  • Se na sua família existe algum caso de câncer de intestino hereditário.

Como usar essa informação a seu favor? É importante destacar dois aspectos.

  1. Saber que você faz parte desse grupo possibilita que um médico cuide melhor de você. Ele colocará você num programa de rastreio de tumores conhecido como rastreio de alto risco, no qual você provavelmente fará pelo menos uma colonoscopia ao ano, além de endoscopias periódicas e outros exames.
  2. Se você está tratando um câncer de intestino, seu oncologista poderá utilizar essa informação para definir o melhor tratamento para o seu tumor, às vezes até modificando seu tratamento.

Além disso, ter essa informação é muito importante para toda sua família, que poderá se beneficiar de rastreamento de tumores diferenciado. Afinal de contas eles também podem estar em risco.

Se você já sabe que é portador de uma síndrome de câncer de intestino hereditário, quanto o seu risco de ter câncer é maior que o da população em geral?

Esse risco varia a depender da síndrome. Na síndrome de Lynch o risco de desenvolver câncer de intestino é de 60%, na polipose adenomatosa familiar de 100%. 

Enquanto o risco da população em geral, ou seja, pessoas sem mutações é de 5% ao longo da vida, devemos nos lembrar de que o risco é aumentado não só para câncer de intestino, mas também para câncer de endométrio, sistema nervoso central e outros tumores do aparelho digestivo. 

Para saber mais, assista ao vídeo no canal Dr. Ajuda.

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *