Catarata: sintomas e tratamento

Você conhece alguém que tem ou teve catarata? Sabe quais são os sintomas da doença, qual o melhor tratamento e quando fazer cirurgia? Neste episódio a médica oftalmologista, Dra. Carla Albhy, dará mais detalhes sobre o assunto.

A catarata é um assunto de interesse coletivo, pois em algum momento da vida, pode ser que a pessoa tenha essa doença e precise de tratamento para curar. Isso porque a catarata tem forte relação com a idade e envelhecimento. Se considerarmos os idosos com mais de 75 anos, cerca de 75% deles, ou seja, 3 a cada 4 pessoas com esta idade, têm catarata. Por ser um assunto tão comum, é importante saber quais sintomas ela apresenta e o que fazer em caso de diagnóstico.

O que é a catarata?

Nossos olhos possuem uma lente natural chamada de cristalino. É essa lente que dá foco e nitidez para as imagens que vemos. Mas, na catarata, essa lente vai perdendo a transparência e ficando opaca. Por este motivo, a perda da nitidez da visão é o principal sintoma.

Quais são os sintomas?

  • Perda da sensibilidade ao contraste. Isso significa que a pessoa tem mais dificuldade ao enxergar em ambiente menos iluminados, além de ter a impressão que as cores estão desbotadas;
  • Visão embaçada e borrada. A pessoa tem a impressão que está enxergando através de um nevoeiro, mesmo usando óculos;
  • Variação frequente no grau dos óculos, pois a catarata causa alterações no índice de refração do cristalino e alterações na estrutura.

É importante saber que a catarata não coça, não arde e nem dói. Ela altera apenas a capacidade de enxergar. Nos casos mais graves, ela pode levar à cegueira, mas de forma reversível. 

Causas e fatores de risco

  • A principal causa da catarata é a idade e envelhecimento, pois conforme a idade vai avançando o cristalino naturalmente perde a nitidez, ela também pode ser causada por:
  • Tabagismo;
  • Diabete;
  • Exposição solar excessiva, principalmente sem o uso de óculos de sol, pode contribuir para o aparecimento precoce da catarata;
  • Medicações, como corticoides;
  • Trauma ocular;
  • Uveíte, que é a inflamação da camada média do olho, a úvea;
  • Catarata congênita, quando a criança nasce com ela, por alguma herança genética ou por alguma infecção durante a gravidez, como a sífilis.

Diagnóstico

A catarata só pode ser diagnosticada por um médico oftalmologista, através de um exame chamado biomicroscopia anterior. Isso porque é difícil ver essa doença a olho nu, apenas no caso de catarata total, onde nossa pupila fica toda branca. Na suspeita, sempre procure um médico.

Tratamento

O único tratamento eficaz para a catarata é feito através de cirurgia chamada facoemulsificação, quando é feito um pequeno corte nos olhos (menor do que 2,5mm) para tirar o cristalino e substituir por uma lente intraocular. É um procedimento rápido e sem pontos que apresenta excelentes resultados quando bem executado.

5 principais dúvidas em relação a cirurgia de catarata:

  1. Precisa de anestesia geral? Não! Como é uma cirurgia de pequeno corte, geralmente é realizada sem o uso de anestesia geral, apenas colírios anestésicos e anestesia leve. A maioria dos pacientes que operam catarata tem alta no mesmo dia.
  2. Tenho que esperar a catarata “amadurecer” (cobrindo praticamente toda a visão) para fazer a cirurgia? Não! Essa recomendação era feita antigamente, pois não existia a técnica da facoemulsificação e nem o implante da lente intraocular. Com a tecnologia atual, é possível realizar o procedimento em todos os estágios da doença.
  3. Vou precisar usar óculos após a cirurgia? Isso vai depender do tipo de lente que será colocada no lugar do seu cristalino. Hoje já existem lentes para os problemas de visão que geralmente corrigimos com os óculos.
  4. É possível operar a catarata e mesmo assim não enxergar? Sim, isso pode acontecer, pois além da catarata, existem outro tipos de doenças que podem ocorrer junto com a catarata que também pode prejudicar a visão, como o glaucoma e a retinopatia.
  5. Quais os cuidados após a cirurgia? 
  • Pingar os colírios recomendados;
  • Evitar carregar peso;
  • Evitar dormir em cima do olho;
  • Não abaixar a cabeça para a lente não se deslocar.

A cirurgia de catarata pode implicar algumas complicações, assim como qualquer outro tipo de procedimento cirúrgico, como infecções, descolamento de retina. Hoje, com a técnica da facoemulsificação esses riscos são bem baixos. Depois de operada, a catarata não volta mais e a lente implantada no olho dura o resto da vida. Por isso, a escolha da lente é de extrema importância antes de realizar a cirurgia.

É muito frequente que depois da cirurgia de catarata, haja novamente a perda da visão, como se a catarata tivesse voltado. Isso pode acontecer por conta de algo chamado de opacidade de cápsula posterior, que é uma sujeirinha natural dos olhos que apoia a lente intraocular. Essa opacidade é facilmente tratada com laser no próprio consultório médico, sem a necessidade de utilizar o centro cirúrgico e possui excelentes resultados.

A cirurgia de catarata é um procedimento rápido e seguro que pode te ajudar a recuperar a sua visão e também te livrar dos óculos. Se apresentar os sintomas citados, não deixe de procurar o médico, no caso o oftalmologista. 

Para saber mais detalhes sobre o assunto, assista ao vídeo no canal Dr. Ajuda no Youtube
https://www.youtube.com/embed/aoi33xAduQs

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *