Conectividade no agronegócio é apontada como necessidade para evolução eficiente do setor

Foto: Divulgação/MCom

No Brasil, 37% dos produtores rurais passaram a utilizar o meio digital como forma de gerenciamento das propriedades. É diante desse quadro que o setor passa a ampliar os debates sobre a conectividade e inovação no agronegócio. Segundo o diretor de Política Setorial de Telecomunicações no Ministério

das Comunicações (MCom), Wilson Diniz, quanto mais se investe em tecnologias como a internet 5G e internet das coisas, por exemplo, melhor será a evolução das atividades agrícolas. 

“Apesar de o agro não ser o setor que mais demanda aplicação de internet das coisas, ele é o que apresenta maior capacidade de desenvolvimento, frente à utilização dessa tecnologia. Então, quanto mais investirmos em tecnologias que levem a esse desenvolvimento, teremos maior capacidade de crescimento do agro brasileiro”, considerou. 

A declaração de Diniz se deu em meio à audiência pública realizada na última terça-feira (12) na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Capadr) da Câmara dos Deputados, onde o diretor apresentou dados de três estudos recentes sobre o impacto da conectividade no campo.

Em um dos levantamentos, houve a apresentação de cenários distintos que tratam das perspectivas da conectividade no setor. Uma das situações mostra que a utilização de estruturas de torres e antenas existentes para ampliação da cobertura rural para 48% do território agrícola nacional conta com incremento de R$ 47,56 bilhões no Valor Bruto de Produção. 

Agricultores familiares do Norte do país receberam R$ 452 milhões no primeiro semestre de 2022

Consulta pública sobre concessão de três florestas no Amazonas segue até 29 de julho

Frente Parlamentar lança agenda de compromissos para tornar Brasil mais competitivo

Um segundo cenário revela que a criação de novas estruturas de torres e antenas para ampliação da cobertura rural para 90% do território agrícola nacional conta com incremento de R$ 101,47 bilhões no Valor Bruto de Produção.

O coordenador de Inovação do Sistema CNA/Senar, Matheus Ferreira, também participou dos debates. Na ocasião, ele destacou o avanço da tecnologia na agricultura do país, assim como a importância da conectividade para o setor rural.

“A conectividade nas propriedades rurais, tanto nas cidades quanto no campo, é uma necessidade. Para isso, é importante debatermos esse tema e que haja investimentos públicos e privados para que o produtor consiga obter, ao máximo, a produtividade e a rentabilidade do seu negócio, uma vez que as margens das atividades estão cada vez menores”, destacou.

Apesar dos avanços, o Censo Agropecuário 2017 – últimos dados disponibilizados – das mais de 5 milhões de propriedades rurais do País, 72% não contam com acesso à internet, o que representa uma área de quase 196 milhões de hectares. Do total, 50% estão no Nordeste brasileiro e 91% são propriedades com até 100 hectares.
 

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.