Conheça medidas de autoproteção em casos de deslizamentos

No Brasil, os desastres naturais geológicos, entre eles os deslizamentos, estão entre os mais frequentes e que mais causam danos. Diante dessa realidade, a Defesa Civil Nacional orienta que a população adote uma série de medidas de autoproteção em caso de ocorrências desse tipo.

Segundo a Classificação e Codificação Brasileira de Desastres (Cobrade), os deslizamentos, que estão no subgrupo de movimento de massa, são movimentos rápidos de solo ou rocha, apresentando superfície de ruptura bem definida, de duração relativamente curta, de massas de terreno geralmente bem definidas quanto ao seu volume, cujo centro de gravidade se desloca para baixo e para fora do talude. Frequentemente, os primeiros sinais desses movimentos são a presença de fissuras.

Para minimizar os impactos do desastre, a Defesa Civil Nacional orienta para que sejam adotadas medidas preventivas e ações durante e após os deslizamentos. Veja abaixo as recomendações, que também estão disponíveis no Twitter.

Medidas preventivas

  • Não construa em locais proibidos pela Prefeitura, a exemplo de morros acidentados e encostas
  • Não construa sua casa sem acompanhamento técnico
  • Não desmate morros e encostas para assentamento de casas e outras construções
  • Não retire a vegetação natural que protege a encosta. Nesses locais, não plante bananeiras, porque elas deixam o solo mais instável
  • Não jogue lixo e entulhos nas encostas, porque isso entope as redes de drenagem de água
  • Evite jogar água ou esgoto no terreno, porque essa prática pode causar erosão e instabilidade no solo

Durante o desastre

  • Observe os sinais de movimentação do terreno, como rachaduras no chão; árvores, postes ou cercas inclinadas ou embarrigadas; desníveis ou fendas no terreno; levantamento do piso da residência; barulhos vindos do chão como se fossem pequenos terremotos
  • Se observar algum desses sinais de movimentação do terreno, saia imediatamente da sua casa e avise a Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros e os moradores da região
  • Auxilie crianças, idosos e pessoas com dificuldade de locomoção próximas a você

Após o desastre

  • Não entre no local do deslizamento sem autorização
  • Não volte para casa até que haja liberação da Defesa Civil ou órgão competente de sua cidade

Os desastres naturais geológicos também incluem terremotos, emanações vulcânicas e erosões. O primeiro é subdividido em tremor de terra, que são vibrações do terreno que provocam oscilações verticais e horizontais na superfície da Terra (ondas sísmicas), e tsunami, uma série de ondas geradas pelo deslocamento de um grande volume de água causado geralmente por terremotos, erupções vulcânicas ou movimentos de massa.

Emanações vulcânicas são materiais vulcânicos lançados na atmosfera a partir de erupções vulcânicas.

As erosões são subdivididas em erosões costeira/marinha, de margem fluvial e continental. A costeira/marinha é um processo de desgaste (mecânico ou químico) que ocorre ao longo da linha da costa (rochosa ou praia) devido à ação das ondas, das correntes marinhas e das marés. A margem fluvial é um desgaste das encostas dos rios que provoca desmoronamento de barrancos. A continental é a remoção das partículas do solo provocada por escoamento hídrico superficial concentrado ou não concentrado.

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.