Criadores de gado têm até sexta-feira (15) para vacinar o rebanho contra a raiva

Criadores de gado em 119 municípios de Goiás, identificados como áreas de alto risco, têm até a próxima sexta-feira (15) para vacinação do rebanho contra a raiva. A determinação consta na Instrução Normativa 07/2023, emitida em complemento à portaria nº 483, de 20 de outubro de 2023.

A campanha, promovida pela Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), que iniciou dia 1º de novembro, abriu a segunda etapa do calendário vacinal contra raiva em herbívoros, que inclui animais de até 12 meses das espécies bovina, bubalina, equídea, caprina e ovina.

Rafael Vieira, gerente de sanidade animal da Agrodefesa, explica que a vacinação é compulsória em municípios goianos considerados de alto risco.

“Serem municípios que estão em localidades que proporcionam a instalação de abrigos de morcegos, locais onde tem vários casos registrados de morcegos hematófagos fazendo a espoliação dos animais, ambientes com muitas cavernas e grutas também são locais que atraem a presença dos morcegos hematófagos que são os transmissores”, expõe.

O que é Raiva?

A raiva é uma doença viral zoonótica, altamente infecciosa e com alto risco de letalidade, afetando todos os mamíferos, incluindo humanos. A probabilidade de morte para indivíduos infectados pelo vírus rábico é próxima de 100%. Embora existam raros casos documentados de sobrevivência humana, estes geralmente envolvem grandes sequelas. 
O gerente avalia que existem duas formas de caracterização da raiva: a urbana e a silvestre.

“São dois tipos de ciclos diferentes, muito embora a raiva urbana anteriormente fosse causada por variantes de vírus que circulavam em pequenos animais, como cães e gatos, seja uma raiva que tem um problema muito menor hoje, porque existe controle muito grande em virtude das campanhas massivas de vacinação nos centros urbanos”, explica.

Já a raiva silvestre tem sido o maior problema atualmente no Brasil, pois acomete todos os animais de produção, ela é transmitida principalmente por morcegos que têm o hábito de morder e se alimentar do sangue dos animais.

Penalidades

Para comprovar o saldo de rebanho das propriedades rurais e confirmar a aplicação da vacina contra a raiva dos herbívoros, o produtor deve, obrigatoriamente, utilizar o Sistema de Defesa Agropecuária de Goiás (Sidago). É possível acessá-lo por meio do link Declaração de Rebanho/Vacinação contra Raiva, disponível no site da agência. O acesso ao Sidago só é permitido com a utilização de login e senha exclusivos do titular da propriedade rural.

O prazo para a vacinação termina dia 15 de dezembro, porém a declaração deve ser feita até 30 de dezembro. Produtores que não cumprirem essas obrigações estarão sujeitos a penalidades, como multas de R$ 300 por propriedade pela não entrega da declaração, e um adicional de R$ 7 por cada animal não vacinado.

A meta de vacinação contra a raiva dos herbívoros em municípios de alto risco em Goiás é de aproximadamente 7 milhões de animais. Até o momento, 80% desse total já foi vacinado e a vacinação foi devidamente declarada. Restam ainda 20% do rebanho a ser vacinado nessas áreas.
 

Veja Mais:

Goiás registra cerca de 23 casos de HIV e 6 casos de Aids por 100 mil habitantes em 2023
Certificados de eliminação da transmissão vertical de HIV e sífilis aumentam 70% no Brasil
 

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *