Energia solar: setor cresce e deve movimentar mais de R$ 38 bi em 2024

Na casa de três quartos onde mora, em Brasília, o médico Washington Ferreira  tem uma conta a menos para se preocupar: a de energia. Há dois anos ele investiu R$ 23 mil na instalação de painéis de energia fotovoltaica e a conta, que custava cerca de R$ 500 mensais, caiu para o mínimo, R$ 116. 

“Pelos cálculos, em cerca de cinco anos ela se pague. Para mim está valendo muito a pena e a minha perspectiva é que logo o investimento já terá sido pago e eu vou usufruir do lucro aí para frente”, calcula. 

E não é só Washington que está animado, o setor também está otimista para o próximo ano. Segundo as projeções feitas pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), os novos investimentos gerados pelo setor fotovoltaico devem ultrapassar os R$ 38,9 bilhões. Isso inclui usinas de grande porte e os pequenos e médios sistemas em telhados, fachadas e terrenos, como o que o médico aposentado, residente no Jardim Botânico, em Brasília,  instalou na casa dele. 

Emprego e renda

A expectativa da ABSOLAR é que o setor gere mais de 280 mil novos empregos em 2024, em todas as regiões do país. Além de arrecadação de mais de R$ 11,7 bilhões aos cofres públicos, como explica a vice-presidente do conselho de administração da ABSOLAR, Bárbara Rubim.

“A medida que o setor cresce, cresce a economia de maneira geral. E a economia local é muito favorecida, porque a energia solar, sobretudo na forma distribuída e descentralizada — que são esses telhados que a gente vê em comércios, casas e propriedade rurais — ,ela permite que o consumidor transforme o custo que ele teria com energia elétrica em consumo direto.” 

O empresário brasiliense Leonardo Samir está no ramo há nove anos. A empresa dele começou pequena e hoje já é considerada de médio porte. Samir conta que a demanda pelo serviço vem crescendo e prevê um 2024 ainda mais promissor.

“Os preços dos sistemas caíram muito de alguns anos para cá e, ao mesmo tempo, a procura aumentou. Quando comecei no ramo, o investimento demorava cerca de oito anos para se pagar, hoje o cliente já recupera o que investiu em apenas 3,5 a 4 anos.”

Samir ainda cita três grandes vantagens do sistema fotovoltaico. “O preço, que ainda é bem mais barato que o da energia fornecida pelas concessionárias; o cuidado com o meio-ambiente, que usa energia  limpa e renovável e por último, o baixo custo de manutenção do sistema.”

Energia em expansão

Pela projeção, em 2024, serão adicionados mais de 9,3 gigawatts (GW) de potência instalada, chegando a um total acumulado de mais de 45,5 GW, o equivalente a mais de três usinas de Itaipu. 

Segundo Bárbara Rubim “a energia solar é passível de ser instalada, seja na forma de geração distribuída, que são os pequenos sistemas, seja na forma de geração centralizada, em todo o país. Exatamente porque o Brasil tem o recurso solar muito favorável.” 

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *