Governo Federal debate parceria com Nações Unidas para gestão integrada da Lagoa Mirim

O ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, recebeu nesta terça-feira (17) o representante assistente para programa da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) no Brasil, Gustavo Chianca. Durante o encontro, foi debatida uma parceria com o órgão das Nações Unidas na gestão integrada, entre Brasil e Uruguai, dos recursos hídricos da Lagoa Mirim, cuja parte brasileira se localiza no estado do Rio Grande do Sul.

“Nós temos uma missão muito importante no contexto macro das políticas públicas, que é integrar esse país que tem dimensão continental, sempre buscando diminuir as desigualdades regionais”, destacou o ministro Waldez Góes. “E essas parcerias, sejam nacionais ou internacionais, são decisivas para que a gente avance nessa direção. E a FAO, uma instituição, renomada, parceira, amiga e defensora da segurança alimentar, da segurança hídrica, é fundamental nessa parceria”, enfatizou.

Entre as ações previstas na parceria dos governos do Brasil e Uruguai e da FAO estão a realização de uma análise e de um diagnóstico transfronteiriço, a concepção e a implementação de um programa de ação estratégica e a monitorização, comunicação e avaliação cruzada dos resultados alcançados.

Entre os objetivos da parceria está o fortalecimento das capacidades dos setores público e privado de ambos os países, enfatizando o uso sustentável e eficiente da água, a preservação dos ecossistemas e seus serviços e a adaptação às mudanças climáticas.

“A FAO tem um histórico importante com o ministério e foi importante esse encontro para traçarmos nossas novas estratégias, novos acordos com o novo governo. Esse projeto da Lagoa Mirim é muito importante, pois é binacional, e propõe um arranjo local de desenvolvimento regional”, afirmou Gustavo Chianca.

Sobre a Bacia da Lagoa Mirim

A Bacia Hidrográfica Lagoa Mirim é uma bacia transfronteiriça compartilhada entre o Brasil e o Uruguai, sendo o segundo maior lago da América do Sul (3.750 km²). A grande quantidade e boa qualidade de suas águas favorecem as atividades agrícolas, florestais, pecuárias, pesqueiras, aquícolas, turísticas e de abastecimento de água, entre outros serviços, em ambos os países.

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *