Herbicidas hormonais: safra 2022/2023 reduz 40,28% o número de propriedades atingidas

Relatório elaborado pela Secretaria da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (Seapi) apontou que houve uma redução de 40,28% no número de propriedades atingidas por herbicidas hormonais na safra 2022/2023. O relatório foi feito a partir das análises realizadas durante a safra de verão no Rio Grande do Sul. 

A Secretaria recebeu 55 denúncias de deriva de defensivos agrícolas (quando a trajetória da gota é desviada durante a aplicação de um defensivo, sem atingir o alvo), que resultaram na coleta de 58 amostras nas propriedades atingidas. As amostras analisadas foram divididas em combos de princípios ativos. Algumas amostras não indicavam ação de herbicidas hormonais, levando à investigação de outros princípios ativos. 

Ao todo, foram feitas análises de herbicidas hormonais em 53 amostras, incluindo o princípio ativo 2,4-D. Dessas, 45 apresentaram laudo positivo, totalizando 43 propriedades atingidas (houve duas coletas numa mesma propriedade). A deriva de 2,4-D atingiu as seguintes culturas: uva, com 26 ocorrências; noz-pecã, oliveira e morango, com duas ocorrências; e tabaco, maçã, tomate, trigo, pêssego, milho e laranja, com uma ocorrência. 

Para o agrônomo Charles Dayler parte dessa redução se deu pelas ações regulatórias e sanções normativas. Ele explica que isso é essencial, já que evita a dispersão de material poluente, reduzindo a contaminação nas áreas de pessoas que não possuem vínculos com a agricultura. 

“Boa parte da redução da deriva se deu em função de ações regulatórias, ou seja, foram publicadas em sanções normativas e também por ações de fiscalizações. Então isso vem levando a essa redução, porque tivemos esses novos instrumentos e esse trabalho vem sendo feito continuamente. Outra coisa que podemos agregar na redução pode ser a questão da melhoria da qualidade técnica. Os responsáveis técnicos pela aplicação estão aplicando nos momentos adequados, evitando horas que estão ventando que pode levar a dispersão, aplicando em altitude menor, usando os princípios ativos autorizados.E tudo isso vai levando a redução da deriva”, destacou o agrônomo.-

Na comparação com a safra 2021/2022 houve uma diminuição de mais de 63% nos casos de deriva no Rio Grande do Sul nos últimos dois anos, no qual a safra do ano anterior marcou uma redução de 23,41%. 

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *