Hidrogênio pode substituir diesel nos trens

Foto: Brasil Mineral/Divulgação

A  Anglo American e a operadora de frete ferroviário australiano Aurizon irão desenvolver em conjunto estudo de viabilidade para avaliar a introdução de trens movidos a hidrogênio para frete a granel. O acordo prevê a exploração das células de combustível de hidrogênio e unidades de energia híbrida de bateria proprietárias da Anglo American em operações ferroviárias de transporte pesado de mercadorias. 

Caso o estudo seja bem-sucedido, poderá ser estendido para outras fases de colaboração, que podem incluir engenharia detalhada e o desenvolvimento de um protótipo de locomotiva pesada movida a hidrogênio.

O estudo de viabilidade irá se concentrar na implantação potencial da tecnologia de energia de hidrogênio da Anglo American no corredor ferroviário de Moura da Aurizon, que opera entre a mina de carvão metalúrgico Dawson da Anglo American e o porto de Gladstone, e o corredor ferroviário de Mount Isa que opera entre a Província de North West Minerals e o porto de Townsville via Terminal Stuart da Aurizon.

Como parte de seu compromisso com minas neutras em carbono até 2040, a Anglo American assumiu a liderança global no desenvolvimento de soluções de hidrogênio verde para sua frota de transporte de carga útil de 290 toneladas de carga útil de ultra-classe. 

SGB-CPRM faz levantamento de bens minerais marinhos na plataforma rasa oceânica do RN

Investimentos: Appian continuará a buscar oportunidades no Brasil

A combinação exclusiva de tecnologias de trem de força da Anglo American, projetada para operar com segurança e eficácia nas minas substituirá o uso do diesel na maioria de suas operações de mineração, com um teste avançado do caminhão protótipo em sua mina de metais do grupo de platina Mogalakwena na África do Sul: Anglo American Hydrogen power.

A Aurizon é uma empresa de transporte ferroviário de mercadorias da Austrália que tem como meta descarbonizar as suas cadeias de abastecimento para atingir emissões operacionais líquidas zero até 2050. A Aurizon também iniciou pesquisa e desenvolvimento de trens movidos à bateria com uma série de partes da indústria e em universidades na Austrália. 

“O hidrogênio oferece uma enorme oportunidade para descarbonizar e continuar a melhorar a competitividade das cadeias de suprimentos de exportação da Austrália”, disse o Diretor e CEO da Aurizon, Andrew Harding. 

Segundo o executivo, trens movidos a hidrogênio com zero de carbono também aumentariam significativamente os atuais benefícios ambientais de transportar mais carga a granel da Austrália por ferrovia. O frete ferroviário já produz até 16 vezes menos poluição de carbono por tonelada-quilômetro do que o rodoviário. 

“A Aurizon está entusiasmada com a parceria com a Anglo American neste projeto, especialmente devido ao seu sucesso até o momento no desenvolvimento de soluções de tecnologia exclusivas para uso em frotas de transporte de minas”, disse Harding.

Tyler Mitchelson, CEO da Anglo American na Austrália, disse que a companhia está comprometida em ter suas operações neutras em carbono até 2040 e o objetivo é reduzir as emissões de Escopo 3 em 50% no mesmo período.“Sabemos que não podemos alcançar tudo isso sozinhos, por isso trabalhamos com parceiros ao longo de nossas cadeias de valor e fora de nossa indústria para encontrar soluções técnicas para descarbonizar.” 

Tony O’Neill, Diretor Técnico da Anglo American, acrescentou: “Nosso acordo com a Aurizon marca a primeira vez que nossa tecnologia de energia de hidrogênio pode ser testada além de nosso programa existente de caminhões de transporte de minas. Descartar nosso uso de diesel é fundamental para eliminar as emissões em nossas instalações e ao longo de nossa cadeia de valor. Acreditamos que nossa tecnologia inovadora de hidrogênio fornece uma solução versátil, seja para caminhões ou trens ou outras formas de transporte pesado.”
 

Fonte: Brasil 61

COVID-19: Brasil vacina 80% da população alvo com duas dosesBloqueado

Ajude-nos a crescer! Compartilhe esta matéria com seus amigos no Facebook clicando no botão abaixo para desbloquear o conteúdo automaticamente. Compartilhar é grátis!

Clicando no botões você concorda com os termos de uso e política de privacidade
Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.