Mais 16 cidades entram em situação de emergência devido a desastres naturais

A Defesa Civil Nacional reconheceu situação de emergência em mais 16 cidades do País atingidas por desastres naturais. As portarias com os reconhecimentos federais foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (25). Confira aqui aqui.

Dos 16 municípios, oito passam por um período de estiagem. São eles: Capoeiras, Moreilândia, Quixaba e Surubim, em Pernambuco, Guanambi, na Bahia, Boqueirão, na Paraíba, Dirceu Arcoverde, no Piauí, e Alexandria, no Rio Grande do Norte.

Já Fartura do Piauí e Vera Mendes enfrentam um período de seca, que é uma ausência de chuvas mais longa do que a estiagem.

São João del-Rei e Urucânia, em Minas Gerais, e Charqueadas, no Rio Grande do Sul, registraram queda de granizo. Alfenas, também em Minas Gerais, e Galvão, em Santa Catarina, foram atingidas por chuvas intensas. Por fim, Gravataí, no Rio Grande do Sul, sofreu com vendavais.

Como solicitar recursos federais

Cidades em situação de emergência ou estado de calamidade pública reconhecido pela Defesa Civil Nacional estão aptas a solicitar recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para atendimento à população afetada.

As ações envolvem socorro, assistências às vítimas, restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de infraestrutura destruída ou danificada. A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD).

Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a valor ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos.

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *