Monitor do PIB-FGV cresce 1,6% no primeiro trimestre de 2023

O Monitor de Pesquisa do PIB-FGV, da Fundação Getúlio Vargas, aponta um crescimento no PIB de 1,6%, na atividade econômica no primeiro trimestre em comparação com o quarto trimestre de 2022, considerando-se dados com ajuste sazonal. Na comparação interanual o crescimento da economia no primeiro trimestre foi de 3,6%. Na análise mensal, a economia cresceu 1,8% em março, comparado a fevereiro e 4,5% em relação a março de 2022.

A economista Juliane Trece, coordenadora de Pesquisa (FGV-IBRE), ressalta que essa alta no Monitor do PIB foi referente ao desenvolvimento das atividades agropecuárias.

“O crescimento de 1,6% da economia brasileira no primeiro trimestre de 2023, segundo o Monitor do PIB, deve-se principalmente à atividade agropecuária. O nosso principal produtor agrícola é a soja. E a maior parte dele é colhida no primeiro trimestre do ano. Com a safra recorde para este ano isso acabou explicando  por que a gente teve esse crescimento expressivo com relação ao quarto trimestre de 2022,” destaca.

O consumo das famílias também cresceu 4,7% no primeiro trimestre. O único componente do consumo a retrair nesta comparação foi o de semiduráveis, assim como ocorreu ao longo do ano de 2022, as maiores contribuições positivas foram do consumo de serviços e de não estáveis. Este último impulsionado, principalmente, pelo segmento de combustíveis. 

Como ficou o crescimento de exportação e Importação de produtos no primeiro trimestre de 2023

Exportação 

A exportação de bens e serviços cresceu 5,7% no primeiro trimestre. O desempenho da exportação de produtos da extrativa mineral e de serviços são os principais responsáveis pelo forte desempenho do componente, destaca a pesquisa feita pela Fundação Getúlio Vargas (FGV-IBRE), Como a contribuição negativa destaca-se a retração da exportação de bens intermediários. 

Importação 

O total das importações retraiu 2,1% após oito meses consecutivos de crescimento nos trimestres móveis. Isto se deveu à queda na importação de produtos agropecuários, da extrativa, e bens intermediários. Embora a importação de serviços tenha crescido no primeiro trimestre com 11,6%, a diminuição de sua contribuição foi significativa em 2022.

O economista Guid Nunes, da empresa Cooperativa Brasileira de Serviços Empresariais, afirma que as projeções para os próximos meses são de 2% no crescimento do PIB, mas é preciso observar como vai ser o desenvolvimento até o final do ano de 2023.

“E o cenário inicial de previsão era de 1% ao ano, então com esses dados do primeiro trimestre as previsão estão chegando a 2% de vários pesquisadores para o ano de 2023. Mas ainda temos que conferir o desdobramento ao longo do ano, porque a nossa taxa de juros está muito alta, é a maior taxa real do mundo, é uma taxa de 9% ao ano,” afirma.  

A taxa de investimento no primeiro trimestre de 2023 foi de 15,7%, na série a valores correntes. Este resultado é menor do que a taxa de investimento média nos dois períodos analisados, tendo um patamar similar à taxa de investimento vista no trimestre de 2017. Sendo assim, no primeiro trimestre de 2023, em 2017 o crescimento da economia foi bastante influenciado pelo desempenho da agropecuária do país.

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *