TOCANTINS: SGB-CPRM lança mapa geológico e de recursos minerais do estado

Marcelo Ferreira e Márcio Remédio participam do evento, a convite ds Agência de Mineração (ANM). Foto: Serviço Geológico do Brasil - CPRM

O Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM) apresentou uma série de projetos que estão sendo executados pela Diretoria de Geologia e Recursos Minerais (DGM) no estado do Tocantins. O principal destaque foi o lançamento do Mapa Geológico e de Recursos Minerais do Tocantins

.

Segundo o diretor de Geologia e Recursos Minerais, Marcio Remédio, a publicação do mapa faz parte de um trabalho ativo do SGB-CPRM no estado, ao longo da última década. “Desde a sua emancipação, ocorrida em 1989, o estado não possui um mapa geológico próprio”, explicou, ressaltando a importância do trabalho. 

A elaboração do mapa integra a ação “Levantamentos Geológicos e Integração Geológica Regional”, da DGM do SGB-CPRM, que é um conjunto de projetos voltados para a investigação geológica através de uma abordagem interdisciplinar que integra geologia, geofísica e geoquímica.

Durante apresentação, Remédio destacou pesquisas, mapeamentos e dados consolidados sobre o setor mineral no Brasil e reafirmou “a qualidade dos pesquisadores do SGB-CPRM e sua atuação no reconhecimento das potencialidades minerais do País – além da disponibilidade em apoiar governos, empresas e universidade na disseminação do conhecimento sobre as geociências”. O diretor citou ainda que, durante a gestão do diretor-presidente, Esteves Colnago, o nível de reconhecimento da sociedade aos produtos do SGB-CPRM tem se elevado e que a instituição está cada vez mais próxima dos Estados. 

Entre os outros projetos destacam-se o Agrominerais do Tocantins, já em fase de conclusão, para identificar áreas propícias para a exploração de remineralizadores de solo no estado, além dos projetos ‘Minerais Estratégicos – Portadores do Futuro’ e o ‘Grafita’, que já estão em execução.

Algumas das propostas de trabalhos futuros do SGB-CPRM para Tocantins foram pautadas,  entre as quais Almas-Dianópolis, Cobalto, bem como o Projeto Cobre e o Fosfato Brasil. Foram apresentados, ainda, os Programas de Parceria e Investimentos (PPI) do Projeto Palmeirópolis e do Projeto Ouro Natividade. “O nosso objetivo é mostrar que o estado do Tocantins tem uma grande diversidade geológica, é a nova fronteira mineral do País. O problema é que muitos desconhecem as potencialidades do estado”, afirmou.

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *