Tumor nos ossos: sintomas e diagnósticos

O tumor no osso é um problema, muitas vezes, difícil de diagnóstico. Ele pode ser benigno ou maligno (cânce

r), com origem no próprio osso ou metástase de outros tumores. Neste episódio o ortopedista Luiz Filipe Marques dará mais informações sobre o assunto.

O que é o tumor nos ossos?

Algumas pessoas possuem ou conhecem alguém que tem um caroço em algum osso do corpo, na linguagem médica esse caroço é chamado de tumor e por definição é um crescimento anormal de um tecido, nesse caso, o osso.

O tumor pode ser benigno ou maligno (câncer)

O tumor benigno é aquele em que as células normais por alguma razão, que muitas vezes a medicina não consegue explicar, começam a se multiplicar em algum lugar. Quando isso ocorre, existe um aumento no número de células no local e por isso o aumento do volume nessa região. Sendo benigno esse crescimento é organizado e lento e é incapaz de invadir órgãos vizinhos.

Já nos tumores malignos são bem diferentes. A origem do tumor são células que sofreram uma mutação e por isso ficaram diferentes da célula normal, tanto na aparência quanto no comportamento. As células dos tumores malignos passam a se multiplicar de maneira desordenada e invadir tecidos e órgãos vizinhos e se espalhar através dos vasos sanguíneos, a chamada metástase, isso significa que um tumor que foi originado em outro órgão, as células saíram desse órgão e entraram na circulação sanguínea e se alojaram no osso e passaram a crescer formando o tumor chamado metástase.

No caso dos tumores nos ossos, existem dois tipos de tumores malignos:

  • Primários, quando são originados no próprio osso
  • Secundários, quando são metástases de outro tumor

Quais são os sintomas?

Na maioria dos casos, o tumor no osso apresenta poucos sintomas ou nenhum, em casos de tumores benignos. Mas quando os sintomas estão presentes o paciente pode notar:

  • Deformidade ou assimetria, a roupa mais apertada de um lado do que de outro, por exemplo;
  • Tumoração palpável;
  • Dor;
  • Limitação funcional, a dificuldade em realizar algumas atividades;
  • Diminuição da amplitude de movimento, a pessoa não consegue mais dobrar completamente alguma articulação, como o cotovelo e o joelho.

Em casos mais avançados, podem contar com fraturas patológicas, que não possuem um trauma local, o osso fica tão fraco que quebra mesmo sem ter sofrido uma pancada ou algo do tipo. A dor pode piorar mesmo em repouso e podendo surgir uma deformidade no local.

Raramente aparece alguma insuficiência neurológica ou vascular. Além dos sintomas, outras informações da história clínica são muito importantes para o entendimento do quadro.

Os tumores ósseos malignos primários, atingem principalmente adolescentes e jovens adultos, são raros e são representados por diversos tipos histológicos como por exemplo, o tumor de Wilms. Tem como característica atingir principalmente a região joelho, fêmur e tíbia, se espalhando mais frequentemente para o pulmão e comprometer outros ossos.

Isso é diferente das metástases ósseas, nesse caso a faixa etária mais atingida está acima dos 50 anos e os ossos mais afetados são os ossos da coluna, costelas, bacia e quadril. A história clínica mais comum não começa com dores nos ossos, em geral os pacientes já possuem o diagnóstico do tumor de origem que avançou e apresentou metástase, os tumores mais comuns são próstata, mama, pulmão, rim e tireoide. 

O que fazer em caso de suspeita?

O recomendado é buscar ajuda de um ortopedista oncológico ou oncologista para avaliação clínica e realização de exames, como Raio X simples para avaliação da lesão, tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

Nos casos suspeitos de tumor maligno, deve-se afastar a possibilidade de metástase e iniciar uma busca por um possível tumor primário.

Para saber mais detalhes sobre o assunto, assista ao vídeo no canal Dr. Ajuda no Youtube. 

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *