Valor Bruto da Produção agrícola de Minas Gerais registrou mais de R$ 123 bilhões.

No acumulado entre janeiro e novembro de 2023, Minas Gerais ocupou o quarto lugar no ranking de Valor Bruto da Produção, com o registro de aproximadamente R$ 123 bilhões de reais. Sozinho, o estado responde por 10,6% da oferta nacional. As informações foram divulgadas pelo Ministério da Agricultura e Pecuária.

Os produtos que mais se destacaram na produção de Minas Gerais foram café arábica (R$ 26, 5 milhões), soja (R$ 18,7 milhões), leite (R$ 16 milhões) e cana-de-açúcar (R$ 13,7 milhões).

Em 2023, a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) de Minas Gerais repassou cerca de R$ 170 milhões em convênios de saída e termos de fomento para 137 municípios do estado.

Do valor total, R$ 87,6 milhões foram disponibilizados pelo governo de Minas Gerais, enquanto o restante veio de emendas parlamentares obrigatórias ou de contribuições da população. Em 2023, foram 222 parcerias, sendo que 72 foram com associações de produtores e 150 com prefeituras e consórcios intermunicipais.

Segundo a secretaria, a maior parte desse dinheiro foi usada para melhorar as fazendas, comprando equipamentos agrícolas e melhorando a infraestrutura rural, como tratores e ferramentas, além de kits feiras.

Leonardo César, advogado especialista em direito empresarial com foco em agronegócio, do ALE advogados, explica que os investimentos em infraestrutura rural trazem benefícios para os agricultores. “Para os produtores, os benefícios podem ser observados de forma mais direta, pois a maior parte dos recursos liberados foram utilizados na aquisição de máquinas e implementos, que aumentam a eficiência produtiva, logística e informacional, gerando renda e emprego no campo.”

Além disso, César pontua que a sociedade em geral também é beneficiada com os investimentos, com a facilitação do acesso à internet em regiões mais afastadas dos centros urbanos, reforma e manutenção de estradas rurais e disponibilidade de água potável.

Nesses convênios, o governo contribui com dinheiro e os parceiros são responsáveis por colocar em prática o plano acordado, incluindo a alocação de mão de obra. César informa que quando o prazo acaba, as instituições beneficiadas devem apresentar relatórios financeiros e fotográficos, comprovando a destinação adequada dos recursos para a execução dos projetos aprovados e financiados.

Leia mais:

Minas Gerais: empresas investiram R$ 781,7 milhões no estado em 2023, diz Sudene

Minas Gerais é líder nacional na geração de energia solar centralizada, com cerca de 34% da produção

Fonte: Brasil 61

Please follow and like us:
Pin Share
Esta entrada foi publicada em notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *